Epinefrina é utilizada durante procedimentos odontológicos

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Confira aqui quando o uso da epinefrina é indicado na área da odontologia

Durante alguns procedimentos odontológicos, os profissionais especializados precisam recorrer a recursos para deixar o paciente confortável. Os cirurgiões-dentistas, por exemplo, podem usam a epinefrina.

O seu uso é realizado após uma avaliação criteriosa do quadro clínico do paciente. Mas, afinal, o que é a epinefrina?

Epinefrina é uma substância vasoconstritora injetável usada em conjunto com anestésicos para retirar a sensibilidade da cavidade bucal do paciente.

Ela é aplicada de forma local e gera aquela sensação comum de formigamento e dormência. O uso das substâncias locais são usados de forma frequente nos procedimentos odontológicos.

Se você ficou interessado pelo assunto, então fique ligado neste artigo! Isso porque vamos tirar todas as suas dúvidas e mostrar curiosidades sobre o uso da epinefrina na odontologia. Vamos começar?

Indicações da Epinefrina

A epinefrina formadora de anestésicos locais é indicada para os quadros clínicos nos quais o paciente precisa passar por procedimentos invasivos.

Na maioria dos casos, os profissionais indicam a epinefrina para intervenções cirúrgicas.

Quais São as Contraindicações?

Apesar de ser indicada para diversos procedimentos cirúrgicos, é preciso lembrar que há situações em que ela é contraindicada. Dessa forma, a substância vasoconstritora é contraindicada quando o paciente apresenta:

  • Angina pectóris instável;
  • Infarto do miocárdio manifestado nos últimos 6 meses;
  • Acidente vascular cerebral recente;
  • Arritmias refratárias;
  • Insuficiência cardíaca congestiva não tratáveis ou não controlada
  • Hipertireoidismo não controlado;
  • Diabetes mellitus não controlada também devem evitar o anestésico. Pacientes diabéticos devem avisar ao profissional a condição;
  • Feocromocitoma;
  • Hipersensibilidade a sulfitos; e
  • Cirurgia de revascularização miocárdica recente.

Além disso, pacientes hipertensos devem evitar o uso do vasoconstritor. O seu uso é apenas indicado quando o profissional optar pelo o anestésico vasoconstritor em baixas concentrações.

As pacientes gestantes devem evitar a epinefrina. O seu uso só é feito com o acompanhamento rigoroso de um profissional.

Principais Reações Adversas da Epinefrina

As principais reações adversas da epinefrina são:

  • Dores no peito, que pode ser de forma contínua ou grave;
  • Febre;
  • Calafrios;
  • Convulsões;
  • Tontura;
  • Taquicardia;
  • Dores de cabeça;
  • Hipertensão e hipotensão;
  • Arritmias;
  • Náusea;
  • Vômito;
  • Alterações na respiração;
  • Tremores;
  • Quadros de ansiedade;
  • Nervosismo;
  • Visão turva; e
  • Fraqueza.

Assim que você sentir qualquer uma das reações adversas, procure pela orientação de um profissional especializado.

Conhecendo Mais Sobre as Anestesias

Nós já vimos neste artigo que as anestesias odontológicas são utilizadas em diversos procedimentos odontológicos. Mas, afinal, quais são eles? Assim, separamos alguns exemplos para você ficar mais inteirado sobre o assunto.

Um dos exemplos de procedimentos que utilizam os anestésicos locais é a extração dentária.

Como a extração retira de forma parcial ou total o dente, o paciente precisa estar com o anestésico aplicado para não sentir dores e desconfortos durante a cirurgia.

Dessa forma, o anestésico é aplicado na região ao redor do dente que será removido. Outros exemplos são o tratamento de canal e as restaurações dentárias.

O profissional avalia com muito cuidado o quadro clínico do paciente para escolher o melhor anestésico. Com isso, o paciente fica completamente seguro e confortável durante a intervenção cirúrgica.

O Que São os Vasoconstritores?

A epinefrina é um exemplo de substância vasoconstritora. E, o que significa isso?

Bom, os vasoconstritores são substâncias químicas que estão associadas aos sais anestésicos. A partir disso, o sal é absorvido de forma lenta e consegue promover o bloqueio anestésico por um período mais longo.

Além disso, a substância vasoconstritora contribui para diminuir a toxicidade do sal. Portanto, vasoconstritores são utilizados de forma recorrente na odontologia.

Além da epinefrina, outros tipos de vasoconstritores são:

  • Noradrenalina;
  • Fenilefrina; e
  • Felipressina.

E a Anestesia Dói?

Os anestésicos odontológicos são aplicados por meio de agulhas. Por isso, muitos pacientes acreditam que esse processo vai doer muito. No entanto, não são as agulhas que causam o desconforto.

Ele se manifesta por causa do líquido do anestésico. Esse líquido distende os tecidos, além de ser ácido e causar uma sensação de queimação.

Mas, caso você tenha medo de agulhas, fique tranquilo! O diâmetro delas é muito pequeno. Ainda, se você quiser diminuir o desconforto, pergunte ao profissional se há alternativas que resolvam o problemas.

Em alguns casos, o profissional pode aplicar uma pomada anestésica tópica. Dessa forma, você não sente o incômodo de forma muito intensa.

Principais Efeitos da Anestesia no Organismo

Os efeitos dos anestésicos, normalmente, desaparecem dentro de algumas horas após o término da intervenção cirúrgica. Na maioria dos casos, a sensação de dormência é passageira, por isso não precisa ficar alarmado!

Os principais efeitos após a aplicação da anestesia que os pacientes podem manifestar são os seguintes:

  • Dormência;
  • Tontura;
  • Dor de cabeça;
  • Espasmos no rosto;
  • Aumento da frequência cardíaca;
  • Hematomas;
  • Danos aos nervos;
  • Visão turva; e
  • Falta de ar.

Assim que notar qualquer efeito estranho no corpo, procure pela orientação do profissional especializado.

Dicas Para o Efeito Anestésico Passar Mais Rápido

O efeito do anestésico da epinefrina pode ser um incômodo para muitos pacientes. Por isso, anotamos algumas recomendações para você tentar e fazer o efeito anestésico passar de forma mais rápida:

  • Massageie a boca com movimentos circulares. O segredo é não aplicar muita forma e realizar os movimentos de forma lenta. Desse modo, você garante o aumento da circulação sanguínea e melhora a sensibilidade do local;
  • Na hora da alimentação, mastigue alimentos com calma, sem ser apressado. Além disso, você não deve mastigar o alimento na área em que a anestesia foi aplicada. A vantagem da mastigação é que ela ativa a circulação;
  • Pegue compressas de água morna e coloque perto da região anestesiada. Isso estimula a circulação de sangue no local; e
  • Beba água! O líquido estimula a circulação e, ainda, te ajudará a ir mais vezes ao banheiro.

Importante: é ideal ficar atento às reações que chegam a durar por muitas horas ou dias. Nesses casos, é ideal que você procure o profissional responsável pelo seu tratamento para uma avaliação criteriosa do quadro.

Por isso, marque uma consulta com o profissional de confiança caso você tenha alguma dúvida sobre o procedimento. Dessa forma, a reações da epinefrina vão se manifestar de maneira controlada.

Ramiro Murad

Ramiro Murad

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela UNIC. Gestor de clínicas odontológicas e franquias. Residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Habilitação em Harmonização Orofacial e integrante da equipe Bucomaxilofacial Dr. Carlos Eduardo Xavier na Clínica da Villa, em São Paulo. CRO - 118151

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2020

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.