Enxerto gengival recupera e renova seu sorriso

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Seja por estética ou para recuperar funções, o procedimento promete renovar o sorriso dos pacientes

Existem diversos procedimentos realizados na boca. Seja por motivos estéticos ou por conta de perda de funções, a odontologia já fornece os melhores tratamentos para nossos problemas bucais. O enxerto gengival é um desses procedimentos.

Nesse artigo, vamos conversar sobre o enxerto gengival. O que é? Quais os tipos? Quais os objetivos? Ah, e claro, as melhores dicas sobre esse procedimento, incluindo preços, você pode conferir aqui!

Enxerto gengival é um procedimento realizado para reconstruir a gengiva. Existe mais de um tipo de enxerto, para que o procedimento seja feito em qualquer caso.

O enxerto também pode ser utilizado em alguns procedimentos que envolvam prótese dentária, se necessário.

Quando o enxerto gengival é usado?

O enxerto gengival deixou de ser usado exclusivamente para recuperar gengivas retraídas. Outras áreas da odontologia passaram a realizar o procedimento para recuperar funções ou por uma questão estética.

Reunimos aqui uma lista com alguns casos que podem envolver o enxerto de gengiva:

  • Recobrir raízes dentárias expostas por conta da retração gengival;
  • Corrigir gengivas acinzentadas próximas a próteses dentárias e implantes;
  • Prevenir a recessão tecidual em indivíduos com “gengiva fina”;
  • Aumentar o volume das gengivas por estética;
  • Melhorar o resultado estético e funcional com próteses dentárias fixas.

Quais são os tipos de enxerto gengival?

A cirurgia plástica periodontal, ou cirurgia plástica gengival, pode ser realizada de três formas diferentes. Elas se diferem mais pelo tipo de material que será usado no enxerto. Todas elas prometem entregar o melhor resultado.

Enxerto gengival com tecido conjuntivo:

Essa é o técnica mais usada para tratar o aumento de volume gengival e a exposição da raiz. Nela, o cirurgião-dentista retira tecido de outras regiões da boca para usar como enxerto na região afetada.

O local mais indicado para servir como doador é o palato, também conhecido como céu da boca.

O tecido conjuntivo é removido do palato, então é posicionado e estabilizado através de pontos de sutura sobre a área exposta da raiz.

Depois de realizado o enxerto de gengiva, a região cortada do palato é reposicionada e suturada, permitindo o fechamento total da ferida.

Enxerto gengival livre:

Semelhante ao enxerto de gengiva de tecido conjuntivo, o enxerto gengival livre também usa tecido do palato para ser realizado. No entanto, o cirurgião-dentista irá retirar uma quantidade muito menor de tecido.

Por ser menos invasiva, essa técnica de enxerto de gengiva é mais indicada nos casos de recobrimento da raiz, sem ganho de volume gengival.

Enxerto gengival pediculado:

Esse procedimento de enxerto de gengiva é o menos invasivo dos três. O tecido doador é proveniente da gengiva do dente adjacente, por isso é indicado apenas em pequenos recobrimentos.

Para realizar o procedimento, são feitas pequenas incisões na porção mais superficial da gengiva, próxima à área a ser recoberta. Então, é realizado um movimento de rotação e deslocamento do tecido, recobrindo a exposição da raiz, completando assim o enxerto de gengiva.

E o pós operatório?

O pós-operatório pode ser simples, se o paciente seguir todas as recomendações. Como são feitos cortes e suturas, a gengiva precisa de um tempo para se adaptar e se recuperar.

Cerca de 120 dias depois do procedimento, o paciente terá uma cicatrização perfeita, podendo realizar outros procedimentos. Esse tempo pode se estender se o paciente não seguir todas as orientações!

Quando não realizar o procedimento?

Os enxertos de gengiva não são recomendados em alguns casos. O motivo pode ser a impossibilidade de realizar o procedimento ou as altas chances do resultado não ser o esperado. Esses casos são:

  • Dentes girados ou tortos;
  • Gengiva com biotipo excessivamente fino;
  • Controle inadequado de placa ou outros fatores que apontem higiene oral deficiente;
  • Doenças gengivais como gengivite e periodontite não curadas ou recorrentes por má higiene;
  • Retração gengival severa.

Qual o preço do enxerto gengival?

O enxerto gengival custa, em média, 850 reais. O procedimento pode ser mais caro dependendo do tamanho da área e da complexidade da cirurgia.

Yara Barreto

Yara Barreto

Formada em Odontologia pela Universidade de São Paulo (2008). Aluna de iniciação científica Pibic/Unicid da Universidade de São Paulo. Em 2009, concluiu estágio clínico em Ortodontia no Instituto Vellini, e em 2010, curso de planejamento Ortodôntico na Universidade Metodista. Concluiu em 2014 sua especialização em ortodontia e atua com ortodontia digital. Dentista na Odontoclinic e responsável técnica da OdontoImage.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2018

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.