Relação entre dentista e paciente é importante para a fidelização

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Confira aqui dicas para otimizar a relação dentista e paciente

Quando vamos visitar o profissional da área da saúde, queremos ter confiança e segurança na hora do atendimento. Por isso, na odontologia, a construção da relação entre dentista e paciente é essencial.

Você, como profissional, precisa saber interagir com o seu paciente. E, você, como paciente, precisa se sentir confortável durante os atendimentos. Só assim é possível ter uma relação de fidelização entre dentista e paciente.

O dentista e paciente tem uma relação de confiança, responsabilidade e cuidado. É preciso respeito e segurança de ambas as partes durante a construção desse contato.

Neste artigo iremos tirar todas as suas dúvidas sobre a relação dentista e paciente. Vamos começar?

Conhecendo sobre o Código de Ética Odontológica

Para manter uma relação entre o dentista e paciente, é preciso que o profissional esteja a par do Código de Ética Odontológica Esse código regula a postura dos profissionais odontológicos durante os procedimentos.

Sobre a relação entre o profissional e o paciente, o código regula:

“Art. 11. Constitui infração ética:

I – discriminar o ser humano de qualquer forma ou sob qualquer pretexto;

II – aproveitar-se de situações decorrentes da relação profissional/ paciente para obter vantagem física, emocional, financeira ou política;

III – exagerar em diagnóstico, prognóstico ou terapêutica;

IV – deixar de esclarecer adequadamente os propósitos, riscos, custos e alternativas do tratamento;

V – executar ou propor tratamento desnecessário ou para o qual não esteja capacitado;

VI – abandonar paciente, salvo por motivo justificável, circunstância em que serão conciliados os honorários e que deverá ser informado ao paciente ou ao seu responsável legal de necessidade da continuidade do tratamento;

VII – deixar de atender paciente que procure cuidados profissionais em caso de urgência, quando não haja outro cirurgião-dentista em condições de fazê-lo;

VIII – desrespeitar ou permitir que seja desrespeitado o paciente;

IX – adotar novas técnicas ou materiais que não tenham efetiva comprovação científica;

X – iniciar qualquer procedimento ou tratamento odontológico sem o consentimento prévio do paciente ou do seu responsável legal, exceto em casos de urgência ou emergência;

XI – delegar a profissionais técnicos ou auxiliares atos ou atribuições exclusivas da profissão de cirurgião-dentista;

XII – opor-se a prestar esclarecimentos e/ou fornecer relatórios sobre diagnósticos e terapêuticas, realizados no paciente, quando solicitados pelo mesmo, por seu representante legal ou nas formas previstas em lei;

XIII – executar procedimentos como técnico em prótese dentária, técnico em saúde bucal, auxiliar em saúde bucal e auxiliar em prótese dentária, além daqueles discriminados na Lei que regulamenta a profissão e nas resoluções do Conselho Federal; e,

XIV – propor ou executar tratamento fora do âmbito da Odontologia”.

Para conhecer mais sobre o Código, visite a página do Conselho Federal de Odontologia.

Seja compreensível e tenha empatia

Durante os atendimentos clínicos e os procedimentos odontológicos, é preciso que o profissional tenha empatia com o paciente.

Isso porque, na maioria das vezes, sempre bate um friozinho na barriga na hora de visitar o profissional. Por isso, o profissional pode optar pela conversa como uma forma de distração.

Além disso, o profissional precisa saber que o paciente não conhece todos os termos técnicos e não conhece todos os procedimentos. Assim, algumas dicas que separamos são:

  • Explique com detalhes como será a consulta, o procedimento ou o tratamento odontológico;
  • Se possível, procure por um método que possa simular visualmente o procedimento ou tratamento. Assim, o paciente consegue entender detalhadamente o procedimento ou tratamento;
  • Esteja aberto para tirar possíveis dúvidas dos pacientes;
  • Procure usar uma linguagem simples;
  • Trace procedimentos e tratamentos compatíveis com a rotina do paciente; e
  • Oriente sobre cuidados com a saúde bucal.

Procure otimizar a relação dentista e paciente nos atendimentos

Durante os atendimentos, faça os exames completos. Assim, você consegue acompanhar toda a evolução clínica do paciente. Inclusive, o paciente também fica informado sobre a sua saúde bucal.

Desse modo, o profissional deve fazer os atendimentos de forma completa para garantir a fidelização do cliente. Só assim o paciente tem a confiança de que ele está seguro nas mãos do profissional.

Além disso, não esqueça de sempre aprimorar as suas técnicas durante as consultas. Por isso, sempre fique atento para as inovações e tecnologias da área odontológica.

Não esqueça do marketing odontológico

O marketing odontológico é uma estratégia empresarial com o objetivo de otimizar os lucros e atrair mais clientes. Nessa área, é preciso entender como o público-alvo se comporta.

Você deve ter em mente que precisa estar preparado financeiramente e estar ciente do tempo que irá investir fazendo o plano de marketing.

Um dos primeiros passos é você determinar qual é a sua persona, ou seja, qual o perfil do seu cliente.

Determine idade, a renda, a profissão, os hobbies e as metas da sua persona. Dessa maneira, você consegue entender o que ela procura dentro da área de odontologia.

Além disso, prepare a sua equipe para lidar com questões internas e externas do consultório. Treinamentos de como lidar com o público e concorrentes são recomendados.

É necessário que você conheça o produto que vai oferecer ao seu público. Saiba os pontos fortes e os que precisam ser melhorados. Não tenha pressa! Faça com calma e mantenha o foco.

Tenha noção de como se aproximar do seu público. Tente produzir conteúdos para as redes sociais, veículos locais e faça conexões.

Não se esqueça também de investir no marketing pessoal. O seu marketing odontológico só será um sucesso quando você conseguir manter um equilíbrio entre todos os pontos do plano.

Com o fortalecimento da sua divulgação e marca, o dentista consegue atender de forma otimizada o paciente. Assim, o relacionamento entre o dentista e o paciente apenas se fortifica.

Com essas medidas simples, mas efetivas, é possível criar uma relação de fidelização entre dentista e paciente.

Rodrigo Venticinque

Rodrigo Venticinque

Graduado pela Universidade de Santo Amaro (UNISA) e especialista em Prótese e Reabilitação Oral Integrativa, Biofísica Quântica, Biorressonância Aplicada e Ortomolecular. Pós-graduado em Estética Dental e Reabilitação Oral, com certificação em Remoção Segura da Amálgama e Odontologia Biológica pela Academia Internacional de Medicina Oral e Toxicologia. Professor da pós-graduação em Biofísica e Ortobiomolecular da QuantumBio. Também atua nas áreas de Ozonioterapia, Odontologia Sistêmica, Sedação Consciente com Óxido Nitroso e Hipnose. Diretor da clínica Venticinque Odontologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!