Dentição mista: saiba como ocorre seu desenvolvimento

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Com o surgimento da dentição mista, é muito comum a criança desenvolver apinhamento dos dentes e má oclusão

A troca de dente é o processo de queda dos dentes decíduos e o nascimento dos dentes permanentes. É partir desse processo que se forma a dentição mista nos pacientes.

Neste artigo, abordaremos tudo o que você precisa saber sobre dentição mista.

Dentição mista é definida pela mútua existência da dentição decídua e da permanente na boca da criança. Esse período se inicia normalmente aos 6 anos e se estica até os 12 anos.

É importantíssimo que o pequeno já faça acompanhamento odontológico. A dentição permanente pode nascer em espaços que não a comportam apropriadamente. Assim, geram apinhamento e má oclusão.

Para resolver esse problema, será necessário iniciar um tratamento ortodôntico. E quanto mais cedo for feito a constatação do distúrbio, mais rápido será o tratamento e menos invasivo será o recurso recomendado.

Tratamento ortodôntico de dentes mistos

O tratamento ortodôntico tem como principal objetivo reabilitar a oclusão dentária, ou seja, o perfeito encaixe dos dentes da arcada superior com os da inferior. Essa função é primordial para uma mastigação correta.

A realização do recurso terapêutico se dá por diversos aparelhos, mas os mais comuns são móveis e os fixos.

  • Aparelho móvel – é o mais utilizado de todos. É a opção menos invasiva que existe. Pode ser colocado para evitar o aparelho fixo ou ao final do tratamento com o fixo. Sua função é movimentar os dentes para a posição correta.
  • Aparelho fixo – constituído por bandas, fios e braquetes, o aparelho fixo é encaixado na face vestibular dos dentes. Seu objetivo é o mesmo do removível. No entanto, é mais enérgico.

Sobre os dentes decíduos e os permanentes

O desenvolvimento da dentição decídua é o primeiro a acontecer na arcada dentária. Popularmente, são conhecidos como dentes de leite. Eles são temporários, mas tem enorme serventia para o desenvolvimento dos pequenos, já que são essenciais para o fortalecimento da mandíbula e do maxilar da criança.

Além disso, estimulam o crescimento do osso alveolar e participam no processo fonético das palavras.

Eles são responsáveis para abrir e garantir espaço para que, posteriormente, os dentes permanentes se encaixem adequadamente.

Possuímos o total de 20 dentes de leite, situados 10 na arcada superior e outros 10 na inferior. Sua composição é de incisivos centrais, incisivos laterais, caninos e molares.

Os dentes permanentes são os que erupcionam depois dos de leite. São chamados de permanentes porque acompanharão a pessoa o resto de sua vida. Por isso, é fundamental cuidar bem da saúde bucal, assegurando sua higienização da boca.

Nesse estágio, desenvolvem-se 32 dentes, sendo eles incisivos centrais e laterais, caninos, primeiros e segundos pré-molares, primeiros, segundos e terceiros molares.

Cronologia da dentição mista

A cronologia da dentição permanente e decídua marca o período do surgimento dos dentes mistos. Portanto,  ela surge no instante em que os permanentes começam a erupcionar na boca do paciente.

O nascimento dos dentes ocorre na seguinte linearidade:

  • Incisivos centrais inferiores: 6 a 7 anos;
  • Incisivos centrais superiores: 7 a 8 anos;
  • Incisivos laterias inferiores: 7 a 8 anos;
  • Incisivos laterais superiores: 8 a 9 anos;
  • Caninos inferiores: 9 a 11 anos;
  • Caninos superiores: 11 a 12 anos;
  • Primeiros pré-molares inferiores: 9 a 11 anos;
  • Primeiros pré-molares superiores: 10 a 12 anos;
  • Segundos pré-molares inferiores: 10 a 12 anos;
  • Segundos pré-molares superiores: 10 a 12 anos;
  • Primeiros molares inferiores: 9 a 11 anos;
  • Primeiros molares superiores: 10 a 11 anos;
  • Segundos molares inferiores: 11 a 12 anos;
  • Segundos molares superiores: 10 a 12 anos.

Após essa etapa, o próximo e último dente a nascer é o dente do siso, mas leva algum tempo, aparecendo somente quando a pessoa possui entre 17 e 21 anos, o que não caracteriza mais a fase de dentição mista.

Silmara Alves Rozo Ducatti

Silmara Alves Rozo Ducatti

Cirurgiã-dentista graduada pela Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) e especialista em Ortodontia pelo Sindicato dos Odontologistas de Mato Grosso do Sul (SIOMS).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2018

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.