Anemia ferropriva é perigosa e requer cuidados redobrados

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Dentistas podem participar do tratamento da anemia ferropriva e estar atento aos sinais da doença

Muitas pessoas podem desenvolver anemia ao longo da vida. E existem variações dessa patologia, como a anemia ferropriva, uma das versões mais comuns.

Engana-se quem pensa que o dentista não precisa estar atento às manifestações dessa doença. Portanto, é possível que o profissional consiga  identificar um paciente com caso de anemia ferropriva.

Anemia ferropriva é causada pela deficiência de ferro no sangue. De uma forma mais técnica, essa doença ocorre quando há uma quantidade menor do que a necessária de glóbulos vermelhos saudáveis.

Isso se dá principalmente devido a baixa quantidade de ferro no organismo.

Diagnosticando a Anemia Ferropriva

De forma geral, o diagnóstico dessa doença que envolve o ferro, é dado por meio de um levantamento que analisa toda a história do paciente. Além disso, é muito comum que o profissional realize também:

  • Avaliação clínica e dos hábitos alimentares
  • Realização de exames laboratoriais, como o hemograma, sangue oculto nas fezes, entre outros e da imagem (ultrassom, endoscopia) para investigar a origem de possíveis perdas de sangue são passos importantes para estabelecer o diagnóstico;
  • Sangramentos que ocorram de forma incomum;
  • Um exame de ferritina, que consiga avaliar as reservas de ferro dentro do organismo, que geralmente estão baixas nesses casos de pacientes com a anemia ferropriva;

É importante que o profissional saiba também que uma dosagem de ferro e capacidade total de ligação do ferro podem se alterar em outras condições que não sejam só esse tipo de anemia.

Por isso, todo cuidado e cautela são poucos para que o diagnóstico não seja feito de forma incorreta.

Quanto antes a situação do paciente for identificada, melhor. Dessa forma, são três os profissionais da saúde que podem dar tal diagnóstico certeiro:

  1. Clínico geral;
  2. Nutrólogo;
  3. Endocrinologista.

Exames Para Diagnóstico

Além de todos esses parâmetros que já citamos anteriormente, é importante explicarmos que em certos casos pode haver algum tipo de alteração.

Dessa forma, é muito comum que o médico que está tratando o paciente identifique essa alteração e peça que sejam realizados exames complementares para ajudar a descobrir a causa da carência de ferro.

Um bom exemplo é a realização de uma anamnese alimentar. Ou seja, realizar uma breve entrevista com o paciente sobre todos seus hábitos alimentares.

Esses simples dados que parecem não fazer diferença, podem ser a chave para confirmar uma alimentação pobre em ferro. Se ainda assim não for indicada essa deficiência, devem ser exigidos alguns exames:

  • Endoscopia Digesta Alta
  • Colonoscopia
  • Exame Parasitológico de Fezes
  • Esfregaço da Medula Óssea
  • Urina Tipo 1

Cada caso é um caso, então, cabe ao profissional solicitar o que identificar ser mais necessário para seu paciente.

Principais Sinais e Sintomas da Anemia Ferropriva

Os sinais e sintomas dessa anemia costumam não ser específicos e característicos. Por isso, pode ser confundido com outras doenças.

Dessa forma, os exames laboratoriais de sangue devem ser realizados o quanto antes.

Assim, é possível que o profissional da saúde tratando o caso consiga dar um diagnóstico certeiro para o paciente.

Os principais sintomas que se manifestam desde as primeiras indicações dessa patologia são:

  • Fadiga generalizada;
  • Falta de apetite;
  • Palidez de pele e da parte interna do olho e das gengivas;
  • Menor disposição para o trabalho;
  • Dificuldade de aprendizagem;
  • Apatia (pessoa muito parada);
  • Retardamento do crescimento;
  • Baixo peso ao nascer;
  • Alta chance de mortalidade perinatal.

Além disso, é importante ressaltar que esse tipo de anemia envolvendo uma deficiência de ferro, é uma das causadoras de 50% das mortes de mulheres que dão à luz.

Dessa forma, existem ainda outros sintomas que costumam ser observados nessas pacientes. Tais como:

  • Baixa imunidade;
  • Fraqueza;
  • Falta de ar;
  • Tontura;
  • Vontade de comer coisas estranhas que não são alimentos, como sujeira, gelo ou argila;
  • Formigamento nas pernas;
  • Inchaço ou dor da língua;
  • Mãos e pés frios;
  • Batimentos cardíacos rápidos ou irregulares;
  • Unhas quebradiças;
  • Dores de cabeça.

Atente-se então se algum desses sintomas aparecer, e lembre-se de informar todos eles o mais rápido que puder para o seu médico. Indicando inclusive quando começaram e a intensidade de cada um deles.

Tratamento Para a Anemia Ferropriva

O tratamento que deve ser feito de pronto é repor a necessidade de ferro do organismo. Normalmente, isso é feito a partir da prescrição de medicamentos que possuam boas doses desse nutriente.

O mais comum é que essas doses de sais de ferro cheguem então a 200 ou 300 mg tomadas em quantidades diárias por no mínimo 2 a 3 semanas.

Porém, isso irá variar de acordo com o grau que a anemia de cada paciente se encontra. Os medicamentos que mais são receitados pelos profissionais para o tratamento de anemia ferropriva são:

  • Combiron
  • Combiron fólico
  • Ferronil
  • Hemax Eritron
  • Hemogenin
  • Neutrofer
  • Noripurum EV
  • Noripurum fólico

Nas pessoas que possuem causas secundárias, envolvendo, por exemplo, uma má absorção intestinal, ou ainda perdas sanguíneas crônicas e parasitoses intestinais, o tratamento muda.

Outros medicamentos podem então vir a ser necessários. A automedicação é algo perigoso e que não deve ser feito, uma vez que pode trazer sérias complicações.

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o caso, assim como a dosagem correta e a duração do tratamento.

É importante seguir sempre as orientações do profissional que está administrando seu tratamento. Em caso de dúvidas e não conseguir contatá-lo, siga as instruções da bula.

Relação da Anemia Ferropriva Com a Odontologia

As manifestações bucais da anemia estão entre os diversos sinais e sintomas associados à doença. Isso faz com que a participação do cirurgião-dentista seja de fundamental importância no processo de diagnóstico e tratamento.

O mais comum de se observar juntamente com os sinais e sintomas que os pacientes anêmicos apresentam, é que muitos tenham:

  • Excesso vertical de maxila;
  • Ausência de selamento labial e pigmentação escura dos dentes;
  • Defeito de mineralização e maturação do esmalte;
  • Maiores níveis de risco à cárie;
  • Alguns sintomas compatíveis com pulpite.

A anemia ferropriva não é uma doença complicada e muito menos desconhecida. Por isso, o tratamento correto evita que se torne um problema maior e desnecessário.

Silmara Alves Rozo Ducatti

Silmara Alves Rozo Ducatti

Cirurgiã-dentista graduada pela Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) e especialista em Ortodontia pelo Sindicato dos Odontologistas de Mato Grosso do Sul (SIOMS).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2020

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.