Alvéolo dentário sustenta os dentes da arcada

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Descubra como é a estrutura e a quais problemas bucais os alvéolos estão relacionados

O dente é uma estrutura fundamental para todos nós. Ele auxilia na nossa fala, respiração e mastigação, que é parte indispensável do processo digestivo. Mas você sabe quem é responsável por sustentar os órgãos dentários? O nome dessa estrutura é alvéolo dentário.

O alvéolo dentário existe em função dos dentes, logo, na perda deles, o alvéolo correspondente deixa de existir, sendo reabsorvido.

Um alvéolo dentário é a cavidade dos ossos da maxila e da mandíbula onde os dentes ficam alojados. A sua principal função é dar suporte aos nossos dentes, para que possamos mastigar os alimentos com segurança.

Processo alveolar

processo alveolar, também conhecido como osso alveolar é a borda espessa dos nossos ossos mandibulares, que agrega os alvéolos dentários.

Esse conjunto é responsável por prender os dente aos ossos da maxila e da mandíbula. A parte curva do processo mandibular recebe o nome de arco alveolar.

Complicações trazidas pelos alvéolos dentários

O alvéolo também pode trazer algumas complicações após uma extração dentária. Entre elas estão infecções, amortecimento do lábio inferior ou da língua, devido a dano no nervo, e rigidez mandibular.

Outro quadro bastante comum é a ocorrência de alvéolos secos, também conhecido como alveolite, uma patologia que afeta o osso alveolar. Nesse artigo iremos entender um pouco mais sobre como essa patologia se manifesta.

O que é alveolite?

Após a remoção de um dente, ocorre a formação de um coágulo de sangue, chamado de intra alveolar. Esse coágulo é imprescindível, já que preserva toda área onde o elemento dental estava inserido, como as terminações ósseas e nervosas.

A alveolite se desenvolve quando esse coágulo se dissolve, desloca-se ou simplesmente não é formado, ou seja, a patologia é fruto da ausência dele.

Assim, os nervos ficam expostos, o que torna aquele espaço mais suscetível a inflamações e também causa muitas dores e sensibilidade.

Quais são as causas desse problema?

Agora iremos alguns fatores de risco que aumentam consideravelmente a chance da pessoa desenvolver alveolite após uma extração dental:

  • Infecções bucais;
  • Utilização de contraceptivos bucais;
  • Não tratar devidamente o ferimento após a remoção dentária;
  • Não realizar a higiene bucal corretamente;
  • O tabagismo.

Sintomas da alveolite

A alveolite geralmente tem início entre 3 a 4 dias após a cirurgia. Ela começa com sintomas mais amenos, mas que com o tempo se desenvolvem, podendo se tornar bastante incômodos. Alguns dos sintomas mais comuns são:

  • Dor de dente que pode irradiar para o pescoço e ouvido;
  • Mau hálito;
  • Gosto desagradável na boca;
  • Aumento da sensibilidade na gengiva;
  • Febre;
  • Presença de pus na região inflamada.

Prevenção e tratamento

O tratamento da alveolite pode ser realizado a partir do uso de antibióticos e/ou anti-inflamatórios.

Dependendo da extensão do problema, pode ser necessário a aplicação de anestesia local para que o profissional realize a limpeza do alvéolo.

O procedimento pode ser realizado por um cirurgião bucomaxilofacial ou pelo dentista.

Mas também existem algumas dicas a serem seguidas que podem ajudar a prevenir o problema. O primeiro passo é não realizar qualquer atividade rigorosa que possa causar alguma lesão ao ferimento.

Essas atividades podem incluir coisas simples como beber por um canudo ou cuspir vigorosamente, pois ambas têm o potencial de deslocar um coágulo sanguíneo.

Outro fator de extrema importância é evitar o tabagismo. mas a questão é que o tabaco deve ser evitado tanto antes quanto depois do procedimento cirúrgico.

Também é fundamental seguir as recomendações de seu dentista após o procedimento. É comum que os profissionais recomendem que você ingira bastante água, não escove os dentes nas primeiras 24 horas após a cirurgia, evite alimentos específicos e utilize enxaguantes antibacterianos.

Agora você já conhece a estrutura e os problemas que podem ser causados a partir do alvéolo dentário.

Juliana Peres

Juliana Peres

Graduada em Odontologia pela Universidade Cidade de São Paulo. Pós-graduada em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial pelo programa de residência profissional do Complexo Hospitalar Padre Bento de Guarulhos. Conhecimento na área de cirurgia oral menor e maior. Residente em cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial no Complexo Hospitalar Padre Bento durante 3 anos e responsável pelo atendimento de pacientes na área de clínico geral, cirurgias orais e harmonização orofacial em diferentes clínicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2020

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.