Abrasivos na odontologia: o que são e quais seus efeitos nos dentes?

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Apesar de ser essencial para limpeza e polimento dos dentes, o uso de abrasivos pode gerar problemas

Durante o processo de polimento de um ou mais dentes, normalmente feito após a restauração, os abrasivos são essenciais.

Mesmo que os abrasivos sejam utilizados para gerar o aspecto natural do dente, eles podem trazer algumas consequências para quem os usa.

Abrasivos são substâncias que podem ser naturais ou sintéticas. São usados para desgastar e polir dentes e limpar materiais.

Para contextualizar, o diamante é um bom exemplo de abrasivo de origem natural. Ele, por sinal, é o mais duro dos que são encontrados na natureza.

Quer conhecer mais sobre esses elementos? Confira nosso texto especial!

O que é abrasão?

Os primeiros pontos que precisam ser explicados são o que significa abrasão e como é feito o uso dos abrasivos na odontologia.

De acordo com a física, abrasão é o nome dado à perda de material causada pela passagem de partículas rígidas sobre alguma superfície, seja ela qual for.

Dessa forma, a abrasão dentária é uma forma de desgaste que causa perda da estrutura dos dentes por uma força mecânica. Ela é considerada uma patologia, já que não se encontra dentro dos padrões de funcionamento normal da cavidade bucal.

No entanto, nem sempre ela é algo ruim, pois é utilizada durante o polimento e o clareamento dental para garantir melhores resultados.

É imprescindível que a abrasão seja feita de maneira consciente e sem exageros, senão poderia desgastar excessivamente as estruturas dos dentes, como o esmalte dentário e a dentina, danificando-as.

Qual é o efeito dos abrasivos nos dentes?

Dependendo de como forem utilizados, os efeitos dos abrasivos nos dentes são diferentes.

Os abrasivos são usados principalmente quando é preciso fazer o polimento ou o desgaste de um dente.

O polimento é normalmente feito após algum procedimento de raspagem interdental ou de retirada de tártaro, eliminando manchas nos dentes. O intuito é deixar a superfície dental mais plana.

Acontece algo parecido quando falamos sobre o desgaste feito nos consultórios, que é necessário quando os dentes do paciente são apinhados ou muito grandes.

Assim, o desgaste é necessário para não colocar em risco a saúde bucal do paciente ou para que não ocorra contratempos durante o tratamento ortodôntico. Uma escovação forte demais ou com cremes dentais que contenham abrasivos também geram o mesmo efeito.

Por essa razão, prefira escovas de dentes com cerdas macias e uma pasta de dente não abrasiva ou com pouca concentração do produto.

Onde podem ser encontrados os abrasivos?

Normalmente, os dentifrícios abrasivos são os mais relacionados ao processo de abrasão. Isso acontece porque até hoje ainda não foram desenvolvidos produtos que sejam totalmente ausentes de substâncias abrasivas, mas equipamentos e aparelhos do dentista também podem realizá-la.

Se o paciente tomar todos os cuidados, os cremes dentais não serão prejudiciais. Caso sinta alguma alteração nos dentes, é fundamental que ele comunique seu dentista.

De modo geral, as qualidades da substância são:

  • Maior dureza do que outros elementos;
  • Formato adequado para realizar os procedimentos necessários;
  • Maior resistência ao impacto, fazendo com que não arredonde as bordas;
  • Alta resistência ao atrito.

Como saber se a pasta de dente é abrasiva?

Agora, a dúvida que fica é: como saber se a pasta de dente é abrasiva? Aliás, é possível realmente saber se o creme dental que eu utilizo possui ou não esse fator?

Como citado anteriormente, não existe alguma linha do produto que não seja uma pasta de dente abrasiva. Sua abrasividade depende do tipo de sílica, um material presente na composição.

Portanto, existe pasta de dental menos abrasiva e mais abrasiva.

A abrasividade é medida pelo RDA (Radioactive Dentine Abrasion), significando que quanto maior for o número, mais abrasivo será o produto. No mercado atual, a variação fica entre 50 e 250 de RDA.

O aconselhado, então, é que o paciente use um dentifrício com um valor baixo, causando menos danos ao esmalte.

Por fim, é valido pontuar que nenhum dos produtos oferecidos no mercado possui uma quantidade de abrasivos maior que o permitido.

Silmara Alves Rozo Ducatti

Silmara Alves Rozo Ducatti

Cirurgiã-dentista graduada pela Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) e especialista em Ortodontia pelo Sindicato dos Odontologistas de Mato Grosso do Sul (SIOMS).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2020

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.