Xarope pode ajudar no desenvolvimento de cárie

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

O xarope é um medicamento que normalmente contém alto teor de açúcar, o que danifica as estruturas dentárias

Remédios são importantes. Eles ajudam nosso sistema imunológico a combater doenças. No entanto, alguns deles podem trazer efeitos colaterais para nosso organismo, como é o caso do xarope.

Muitas pessoas desconhecem, mas determinados tipos de xarope possuem um alto teor de açúcar, o que é maléfico para os dentes. Por isso, é importante sempre ler a bula dos medicamentos antes de ingeri-los, a fim de saber sobre as possíveis adversidades que ocasionam.

O xarope pode ser dividido em três grupos: xarope para tosse seca ou antitussígeno, para tosse com catarro ou mucolítico e expectorante.

Xarope antitussígeno

Quando trata-se de tosse seca, é recomendado o antitussígeno. Sua ação busca acalmar a irritabilidade causada na garganta, fazendo com que a tosse suma.

Exemplos:

  • Vibral;
  • Atossion;
  • Notuss;
  • Hytos Plus;
  • Antuss.

Xarope mucolítico

Se a tosse do paciente for com catarro, será indicado o mucolítico, que dissolverá toda a secreção, possibilitando sua eliminação.

Exemplos:

  • Bisolvon;
  • Mucosolvan;
  • Fluimucil;
  • Transpulmin.

Xarope expectorante

O expectorante normalmente é indicado para tosses de origem alérgica ou brônquica. Sua atividade é um pouco diferente dos anteriores.

Além de reduzir a viscosidade do muco que encontra-se nos brônquios, para que aumente sua fluidez e ajude na excreção, ele também irrita-os, o que acaba servindo de reflexo para que o paciente tussa.

Dessa forma, com essa combinação, o xarope permite que toda a secreção seja expelida.

Exemplos:

  • Liberaflux;
  • Abrilar;
  • Carbocisteína;
  • Bromelin;
  • Guaifenesina;
  • Neossolvan.

É importante ressaltar que independente do xarope para tosse, assim como qualquer outro medicamento, é necessário a supervisão e prescrição médica.

Automedicar-se não é a melhor saída. Então, identificando qualquer sintoma, procure um médico para receber o tratamento mais adequado.

Xarope e odontologia

Como dissemos, existe uma relação entre xarope e odontologia. A quantidade de açúcar que está presente em sua fórmula acarreta em prejuízos ao elemento dental.

A seguir, vamos evidenciar os riscos desses medicamentos.

Cárie

A cárie é uma forma de deterioração dos dentes, representando uma lesão estrutural e uma infecção causada por bactérias. Essas bactérias perfuram o esmalte do dente, formam placas duras e de coloração escura.

Dependendo da profundidade que atingem, resultam em dor e desconforto.

Para tratá-la, é necessário removê-la por meio de uma obturação. O dentista limpará a cavidade e, em seguida, irá tapá-la. Geralmente, o material utilizado para vedar o local é a resina, já que ela possui a mesma cor dos dentes.

Dentes sensíveis

A sensibilidade nos dentes é motivada por uma falha na proteção dentária. Uma das razões dessa falha é a erosão do esmalte, que é a camada mais externa do dente, deixando a dentina exposta.

Assim, quando ingerimos alimentos quentes ou gelados, sentimos aquele “choque” característico.

O tratamento da hipersensibilidade requer a aplicação de flúor nos dentes.

Dentes amarelos

O desgaste no esmalte também faz com que o dente escureça, tomando tons mais amarelados. A forma mais comum de corrigir esse problema é através do clareamento dental.

Em resumo, o xarope pode causar cárie, deixar os dentes sensíveis e amarelados. E para inibir seus efeitos adversos, a melhor maneira é escovar os dentes sempre após sua ingestão, não deixando nenhum resquício nas estruturas dentárias.

Ramiro Murad
Ramiro Murad
Ramiro Murad Saad Neto, cirurgião-dentista com registro no Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) nº 118151, é graduado pela UNIC e residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Possui habilitação em Harmonização Orofacial e também é gestor de clínicas e franquias odontológicas. Além disso, é integrante da equipe Bucomaxilofacial da Clínica da Villa, que está na Rua Eça de Queiroz, 467 - Vila Mariana, São Paulo - SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio
Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.
Agende uma consulta
Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

Simpatio 2021 © - Todos os Direitos Reservados

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.