Produção científica: tipos e aplicações na odontologia

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

De extrema importância, é o meio que permite que os conteúdos universitários sejam divulgados

Realizar uma produção científica, na maioria das vezes, não é uma tarefa fácil. Existem várias preocupações que um pesquisador deve ter ao percorrer toda a trajetória acadêmica.

Em uma produção científica, é necessário sempre fazer levantamentos, verificar, analisar e avaliar a área de conhecimento. Porém, um dos grandes desafios é a dificuldade em se ter acesso a tudo o que já foi publicado.

Produção científica é o resultado do processo de criação do conhecimento por meio de pesquisas, que é registrado e fica disponível a todos. Por meio desta, o conhecimento de dentro das universidades consegue chegar até a sociedade.

Produção Científica no Brasil

Em países mais ricos, altos investimentos são feitos em pesquisas científicas. Já em países em desenvolvimento, como é o caso do Brasil, ainda é baixo o nível de inovação e estímulos financeiros nessa área.

Esse é um dos grande obstáculos para o crescimento da produtividade e do conhecimento científico no nosso país.

Porém, mesmo com a comparação desestimulante, o Brasil ocupa a melhor posição na América Latina em publicações de artigos científicos, avaliando quatro áreas:

  1. Química;
  2. Ciências da Vida;
  3. Terra e Ambiente;
  4. Ciências Físicas

Esse tipo de produção é importante na carreira e no currículo de qualquer profissional e pesquisador. Desse modo, ele consegue expor seus trabalhos à comunidade científica, não importa de qual área seja.

Além de todos os benefícios, isso possibilita ainda que haja a troca de conhecimentos entre pesquisadores e cientistas. Sejam da mesma área ou não.

Assim, a maioria dos artigos já publicados costumam ser gerados dentro das universidades públicas. No entanto, algumas particulares abraçam esse tipo de projeto.

Principais Tipos de Produção Científica

Existem formatos para se realizar uma produção científica. Os mais conhecidos e escolhidos são:

  • Resumo: você deve estar se perguntando se um resumo faz parte desse grupo. E a resposta é sim! Comum e muito utilizado em diversas disciplinas na carreira acadêmica, seu principal objetivo é sintetizar conteúdos.
  • Resenha: muito confundida com o resumo, além de apresentar os conteúdos, reúne informações adicionais e críticas específicas ao texto em análise. Além disso, auxilia os pesquisadores iniciantes que ainda não produziram um tipo mais completo.
  • Monografia: é utilizada como trabalho de conclusão de curso, podendo ser de uma graduação ou especialização. Geralmente, é a escolha dos alunos que desejam realizar seu TCC individualmente. Desse modo, ela é mais ampla e possui uma base teórica maior. Porém, não exige resultados inovadores.
  • Relatório: diferente da resenha, ele não permite análises nem opiniões. É um documento que apenas informa o andamento de uma pesquisa e aulas de campo ou experimentais.
  • Artigo Científico: mais longo que um relatório, apresenta uma análise da pesquisa e também uma fundamentação em pesquisadores mais experientes sobre o tema. Nele, será explicada a metodologia e uma conclusão mostrando os resultados. É ainda um dos mais utilizados para divulgar resultados no meio acadêmico.
  • Dissertação: é usada para obter o título de mestre e busca trazer uma análise diferenciada do tema pesquisado ou problema observado. Assim, essa análise resulta de pesquisas realizadas de forma experimental e ocorre durante todo o mestrado.
  • Tese: o mais complexo. É o trabalho científico com o objetivo de obter o título de doutor. Dessa forma, o pesquisador desenvolve sua tese por todo o período de doutorado. Por isso, a tese deve conter um avanço significativo ou inovação na área da pesquisa. É avaliada de forma mais rígida e necessita que o pesquisador tenha um conhecimento específico do assunto.

Produção Científica na Odontologia

Por conta de uma divulgação maior em revistas especializadas e apresentações em encontros específicos, a pesquisa odontológica no Brasil vem avançando.

No país, a produção científica odontológica alcançou um bom patamar e se destacou no cenário internacional, representando cerca de 7% de toda a produção científica nos últimos anos.

Dessa forma, ainda que a quantidade de publicações tenha aumentado, não significa exatamente que sua qualidade se igualou e aumentou também.

Entre 1996 e 2015, foram contabilizadas 16.333 publicações, o que levou o Brasil a classificação de segundo país com maior número de produção científica. Ficando, assim, atrás apenas dos Estados Unidos.

Valdir de Oliveira

Valdir de Oliveira

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela Universidade de Santo Amaro (UNISA). Pós-graduado em Ortodontia e Ortopedia dos Maxilares pela Sboom. Com especialização e mestrado em Implantodontia, habilitação em Harmonização Orofacial e Anatomia da Face. Professor nas áreas de Cirurgia Bucomaxilo Facial e Harmonização Orofacial. Voluntário há mais de 20 anos na Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais - ADRA Brasil.

Compartilhe sua opinião

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!