Tipos de lixo odontológico e maneira correta de descarte

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

O descarte incorreto do lixo odontológico pode trazer graves complicações

Ao abrir o seu consultório, qualquer profissional da área da odontologia deve estar preparado para arcar com muitas responsabilidades. Entre elas, uma de fundamental importância é como manusear o lixo odontológico.

Assim, essencial entender como manipular o lixo odontológico adequadamente, não prejudicando o meio ambiente, o seu consultório e a sua clientela.

Lixo odontológico é todo tipo de material contaminante utilizado pelos dentistas durante os mais diversos procedimentos e que precisam de cuidado em seu descarte.

Importância em saber manusear o Lixo Odontológico

O ecossistema sofre variadas agressões de toda a população, desde os primórdios de nossa existência até os dias atuais.

Assim, é importante que cada um faça sua parte para melhorar esta situação. Apesar de parecerem pequenos, qualquer gesto pode ajudar.

Portanto, é fundamental que os dentistas, assim como qualquer profissional da área da saúde, saibam como descartar os resíduos produzidos por eles.

É importante ter a consciência que precisamos evitar o acúmulo de detritos, o desperdício de materiais e o consumo excessivo de embalagens e energia elétrica.

Com cuidado e planejamento, a utilização dos recursos se torna bem mais produtiva, econômica, e menos prejudicial para o meio ambiente, trazendo diversos benefícios a todos nós.

O descarte de materiais odontológicos de forma correta é essencial e precisa estar associado a outros hábitos para evitar a poluição, o desperdício e a contaminação.

Essas medidas previnem doenças causadas pela falta de consciência ecológica e agem no extermínio da degradação de nosso planeta.

Classificação manuseio de resíduos e Lixo Odontológico

Para auxiliar no manejo dos resíduos odontológicos, existe uma classificação específica para eles.  Ainda para facilitar o trabalho do dentista, o ideal é que todas as salas do consultório possuam um porta lixo odontológico.

Agora iremos as características de cada classe dos lixos odontológicos e como eles devem ser manuseados:

  • Resíduos biológicos – gaze, algodão, luva, máscara e ponta de sucção são considerados materiais desse grupo. Para estes, o ideal é sempre ter uma lixeira por perto, nunca deixando faltar sacos de lixo, que devem ser proporcionais a demanda de trabalho do consultório. O ideal é que sempre ocorra o recolhimento diário, nunca deixando os detritos acumularem. Isso serve para evitar maiores complicações, como uma contaminação por exemplo.
  • Resíduos perfurocortantes – essa classe de resíduos  deve ser condicionada em caixas de papelão bastante resistentes. Resíduos perfurocortantes englobam materiais como seringas, lâminas, agulhas, ampolas, vidros e tesouras. A importância de serem descartados em ambientes resistentes se deve ao fato de serem bastante perigosos e cortantes.  Assim, é ideal que eles fiquem isolados para que ninguém se lesione ao manuseá-los futuramente. Também é interessante sinalizar que os materiais presentes naquela caixa são perfurocortantes, geralmente utilizando um adesivo de cor chamativa.
  • Resíduos químicos – é o lixo que contém substâncias químicas que apresentam risco à saúde relacionado à inflamabilidade, corrosividade, reatividade e toxicidade. Dentre eles, podemos citar: antibióticos; quimioterápicos; resíduos de produtos de limpeza e reagentes utilizados em laboratório.
  • Resíduos radioativos – envolve qualquer material radioativo utilizado em laboratórios de análises clínicas, serviços de medicina nuclear e radioterapia.
  • Resíduos domiciliares – trata-se de todo lixo comum produzido na unidade de saúde, que não apresenta risco biológico, químico ou radioativo. Alguns exemplos são: papel higiênico, sobra de alimentos, resíduos de gesso ou até sujeira das áreas administrativas.

Riscos do descarte incorreto de Lixo Odontológico

O descarte de lixo odontológico é um assunto de grande relevância para a saúde pública. Assim, quando ele é realizado de forma incorreta, pode acarretar em alguns problemas, tais como:

  1. Riscos biológicos – probabilidade de infecção por algum agente biológico, como uma bactéria ou vírus por exemplo;
  2. Risco químico – exposição danosa do dentista a agentes químicos, como poeira, gases, vapores e medicações tóxicas.

Além disso, o descarte incorreto do lixo odontológico pode trazer complicações físicas ao profissional. Assim, ele pode ser exposto a temperaturas extremas e até mesmo a radiação.

Ramiro Murad Saad Neto

Ramiro Murad Saad Neto

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela UNIC. Gestor de clínicas odontológicas e franquias. Residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Habilitação em Harmonização Orofacial e integrante da equipe Bucomaxilofacial Dr. Carlos Eduardo Xavier na Clínica da Villa, em São Paulo. CRO - 118151

Compartilhe sua opinião

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!