Dor fantasma na Odontologia pede por tratamento interdisciplinar

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Confira aqui como a dor fantasma está relacionada a área da odontologia

Você já deve ter ouvido falar sobre a dor fantasma em pessoas que tiveram algum membro amputado, certo? Agora, você sabia que essa dor também é manifestada na odontologia?

Pois é, a dor fantasma pode se manifestar em pacientes que tiveram dentes extraídos ou que foram perdidos.

Dor fantasma é uma dor que o paciente sente na mesma região em que perdeu uma parte do corpo. Em outras palavras, o paciente sente a dor do membro, mesmo que ele não esteja mais lá.

Na área odontológica, pacientes com esse quadro clínico são diagnosticados com Distúrbio de Dor Dento-Alveolar Persistente (DDAP).

A dor também recebe esse nome por se concentrar, como o próprio nome sugere, na região do dento-alveolar.

Se você ficou interessado pelo tema, então fique ligado neste artigo! Isso porque vamos tirar todas as suas dúvidas e mostrar curiosidades sobre a dor fantasma na odontologia. Vamos começar?

Conhecendo Mais Sobre a Extração e Perda Dentária

A dor fantasma se manifesta, principalmente, como uma dor de dente. Esse processo acontece depois de uma extração dentária. A extração é uma cirurgia marcada pela remoção total de um ou mais dentes.

As principais razões para o paciente precisar passar pela extração dentária são:

  • Cárie não tratada;
  • Inflamações dentárias;
  • Doenças periodontais, como a gengivite, periodontite e periodontite avançada;
  • Trauma dentário;
  • Infecções;
  • Pacientes que nasceram com dentes mal posicionados;
  • Como parte do tratamento ortodôntico
  • Problemas na produção de saliva; e
  • Diabetes.

O procedimento de extração dos dentes é indicado pelo profissional após uma análise criteriosa do quadro clínico do paciente.

Dessa forma, o paciente pede por exames clínicos e complementares para confirmar a realização da cirurgia.

Enquanto isso, a perda dentária é o resultado do enfraquecimento do osso que sustenta os dentes na arcada dentária. As principais causas para isso são:

  • Doenças periodontais, como gengivite, periodontite e periodontite avançada;
  • Falta de cuidados com a saúde bucal;
  • Diabetes;
  • Trauma na boca;
  • Má oclusão dentária;
  • Bruxismo;
  • Quimioterapia;
  • Radioterapia;
  • Cárie; e
  • Perda óssea, como problemas no rebordo alveolar.

Importante: estar sempre em dia com as consultas é ideal para evitar a perda de algum dente.

Quando o elemento dentário não se encontra mais na cavidade bucal, o paciente pode sentir a dor de dente fantasma.

Por Que Sentimos a Dor Fantasma?

Muitos pacientes se perguntam: por que sinto esse tipo de dor? Bom, devemos saber que a dor de dente fantasma está ligada a uma dor neuropática.

Curiosidade: a dor neuropática é um tipo de sensação crônica que afeta o sistema nervoso.

Além disso, os profissionais da área da odontologia acreditam que alguns fatores são diferenciais para a manifestação desse tipo de dor.

As principais características que influenciam no surgimento da dor fantasma são:

  • Genética;
  • Relacionadas ao sexo; e
  • Ambientais.

Melhores Tratamentos

O tratamento para o  Distúrbio de Dor Dento-alveolar Persistente (DDAP) é indicado após uma avaliação criteriosa do quadro clínico do paciente pelo dentista.

Dessa forma, após o diagnóstico completo o profissional planeja o melhor tipo de tratamento.

Na maioria dos casos, é indicado o uso de medicamentos. O profissional fará uma receita com as informações necessárias para o paciente seguir.

Dessa forma, o dentista consegue orientar o paciente quanto ao período de duração do uso do fármaco, bem como a quantidade indicada

Além disso, o cirurgião-dentista pedirá que o paciente evite fazer alguns procedimentos odontológicos durante o tratamento. Eles são:

  • Tratamento de canal;
  • Colocação de implante nos dentes; e
  • Extração de dentes.

Mas por que isso? Bom, a resposta é simples: esses procedimentos são invasivos e podem afetar o tecido local por meio de lesões, por exemplo. Como consequência, a dor de dente fantasma pode piorar e se prolongar.

O tratamento também pode pedir por uma equipe interdisciplinar. Isso porque o paciente pode precisar de consultas com psicólogos e terapistas. Dentro dessa área, os profissionais recomendam:

  • Terapia cognitivo-comportamental;
  • Terapia interpessoal; e
  • Regulação autonômica.

Cuidados Bucais

O cuidado com a saúde bucal faz parte do processo de tratamento. Isso porque a dor pode influenciar na higienização bucal, uma vez que o paciente pode ter medo de escovar os dentes perto da região de dor.

No entanto, é preciso continuar com a prática de higiene oral para evitar o aparecimento de alguma alteração na cavidade bucal. Por isso, é preciso que o paciente siga algumas orientações diárias e básica. Elas são:

  1. Na hora de escolher a escova opte por escovas de cerdas macias ou extra-macias. Dessa forma, o processo de escovação não vai causar lesões na sua boca e não vai irritar a área da dor de dente fantasma;
  2. Escove os dentes por meio de movimentos circulares e suaves. É preciso lembrar de passar a escova por toda a região ao redor do dente;
  3. Lembre de escovar a língua também. Caso você não use a escova, opte pelo raspador de língua ou limpador de língua;
  4. Use o fio dental pelo menos uma vez ao dia; e
  5. Passe o enxaguante bucal indicado pelo profissional de confiança.

Cuidados Complementares

Além da atenção com a saúde bucal, o paciente deve ficar atento para outros cuidados. A alimentação, por exemplo, é de extrema importância durante o período de tratamento da dor de dente fantasma.

O paciente deve evitar alimentos muito duros. Isso porque o alimento duro pode provocar a área da dor e causar a sensação de que a região está mais dolorida. Procure se alimentos com comidas mais pastosas e frias.

Para aliviar a dor, o paciente também pode colocar uma compressa de água gelada na região dolorida. Manter o repouso também é importante. Por isso, tente não fazer movimentos muito bruscos com a boca.

Assim que o paciente seguir as orientações do dentista e prestar atenção aos cuidados bucais e complementares, o tratamento vai começar a fazer efeito e trazer melhoras no quadro clínico do paciente.

Agora que você já sabe tudo sobre a dor fantasma, que tal marcar uma consulta com o dentista de confiança? Dessa forma, você pode entender qual é o melhor tratamento para o seu quadro clínico.

Silmara Alves Rozo Ducatti
Silmara Alves Rozo Ducatti
Silmara Alves Rozo Ducatti é cirurgiã-dentista graduada pela Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) e especialista em Ortodontia pelo Sindicato dos Odontologistas de Mato Grosso do Sul (SIOMS). Possui registro no Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) nº 121811 e integra a equipe odontológica da RD Design Oral, que fica na Alameda Grajaú, 98 - sala 1207 - Alphaville, Barueri - SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio
Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.
Agende uma consulta
Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

Simpatio 2021 © - Todos os Direitos Reservados

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.