Veja como o dispositivo interoclusal ajuda a tratar bruxismo e DTM

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

É comum encontrar pessoas que sofram de bruxismo, o famoso ranger de dentes. Esse bruxismo pode ser desencadeado se a pessoa estiver dormindo ou até mesmo acordada. Você sabia que o dispositivo interoclusal pode ajudar pessoas com bruxismo?

No grupo de pessoas que sofrem com problemas de bruxismo, também podemos encontrar pessoas com disfunções temporomandibulares (DTM). O dispositivo interoclusal também pode ser recomendado para essas pessoas. Mas o que é dispositivo interoclusal?

O dispositivo interoclusal é uma placa removível feita em acrílico para cobrir as superfícies incisais e oclusais de um arco dentário inferior ou superior, criando contatos oclusais com os dentes dos acro dentário oposto, a fim de inibir os efeitos danosos.

O que é bruxismo?

O bruxismo é uma desordem funcional desencadeada em vigília – quando a pessoa está acordada –  ou durante o sono.

A pressão ou o ato do ranger causado pelo bruxismo pode causar o desgaste dos dentes ou até seu amolecimento. Os casos mais graves podem ainda desencadear problemas ósseos, tanto na gengiva quanto na articulação da mandíbula (ATM).

Além disso, o bruxismo pode surgir em crianças e diminuir durante o tempo. Pode também surgir em situações de tensão, de ansiedade e de estresse.

Não existe um tratamento definitivo para o bruxismo, somente seu controle. O dispositivo interoclusal, por exemplo, não é capaz de curar essa condição, mas ajuda na proteção dos dentes para que não haja desgastes acentuados.

Alguns sintomas do bruxismo incluem:

  • Dor de cabeça;
  • Amolecimento dos dentes;
  • Dor no ouvido;
  • Zumbido no ouvido;
  • Dor no pescoço;
  • Dor na mandíbula;
  • Incômodo nos músculos da face;
  • Estalos na movimentação de abrir e fechar a boca;
  • Alterações do sono.

A maioria das pessoas que sofrem de bruxismo durante o sono só sabem o problema por outra pessoa. Portanto, se você observar esses sintomas, procure atendimento odontológico.

Além da avaliação clínica, o especialista pode realizar uma polissonografia para avaliar o grau do distúrbio e inciar um tratamento.

 O que é DTM?

DTM ou disfunção temporomandibular é o conjunto de sinais e sintomas que podem afetar a articulação temporomandibular (ATM). Esses sinais e sintomas podem afetar a musculatura da mastigação.

A DTM não possui uma causa específica, no entanto certas condições, como o bruxismo, podem aumentar o risco de desenvolver a disfunção temporomandibular.

Outras possíveis causas que aumentam o risco de desenvolvimento da DTM são:

  • Apoiar a mão na mandíbula frequentemente;
  • Roer as unhas;
  • Mascar chicletes;
  • Predisposição genética;
  • Depressão;
  • Estresse;
  • Traumas.

Os sintomas sentidos por pessoas acometidas podem incluir:

  • Dor de cabeça;
  • Enxaqueca;
  • Dores no pescoço;
  • Dores no ouvido;
  • Dor orofacial;
  • Dificuldade para abrir e fechar a boca;
  • Barulhos no movimento de abrir e de fechar a boca.

Assim como no bruxismo, a DTM não possui cura, mas possui controle. Além do dispositivo interoclusal, algumas técnicas podem ser utilizadas nesse controle, bem como:

  • Exercícios fonoaudiólogos;
  • Exercícios de fisioterapia;
  • Medicamentos;
  • Acupuntura;
  • Cirurgias  (em casos graves).

Funções dos dispositivos interoclusais

O dispositivo interoclusal funciona na proteção dos dentes, como uma barreira que impede o atrito, como é o caso da placa de bruxismo.

As placas interoclusais são normalmente feitas de acrílico e possuem coloração quase transparente. É um dispositivo removível, ou seja, depende do encaixe e desencaixe nos dentes para sua ação.

A confecção de cada dispositivo interoclusal é feita especialmente para cada paciente, não existindo, portanto, produtos pré-fabricados.

O objetivo do uso da placa, para os casos de DTM, por exemplo, é promover uma posição ortopédica mais estável, reorganizando a atividade reflexa neuromuscular. Além disso, protege os dentes das forças anormais aplicadas sobre eles.

Quais os diferentes tipos de dispositivos interoclusais

Existem tipos diferentes de aparelhos interoclusais. Eles podem ser diferenciados por tipo de ação, de material, de método de confecção, de cobertura oclusal e de localização. Veja a seguir:

Tipo de ação

  1. Estabilizadora;
  2. Reposicionadora.

Material

  1. Acrílico auto-polimerizável, termo-polimerizável e resiliente;
  2. Silicone/ polivinil.

Confecção

  1. Técnica direta;
  2. Técnica indireta.

Cobertura Oclusal

  1. Cobertura parcial (dentes anteriores);
  2. parcial (dentes posteriores);
  3. toral.

Localização

  1. Maxila;
  2. Mandíbula;
  3. Dupla (Nóbilo).

Se você apresenta algum sintoma ou sinal de bruxismo ou de disfunção temporomandibular, consulte um dentista especialista, só uma análise clínica poderá dizer que tipo de dispositivo interoclusal é ideal para o seu caso.

Ramiro Murad Saad Neto

Ramiro Murad Saad Neto

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela UNIC. Gestor de clínicas odontológicas e franquias. Residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Habilitação em Harmonização Orofacial e integrante da equipe Bucomaxilofacial Dr. Carlos Eduardo Xavier na Clínica da Villa, em São Paulo. CRO - 118151

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2020

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.