Dentista-prático atua sem credenciamento e diploma

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Confira como o dentista-prático é visto dentro da área da odontologia

Na área da odontologia, 113.937 profissionais com diferentes especializações estão cadastrados no Conselho Federal de Odontologia. No entanto, existem profissionais que atuam como dentistas, mas não estão cadastrados. Eles são chamados de dentista-prático.

O exercício desse profissional é considerado ilegal no Brasil pelo Conselho de Odontologia. Isso porque o dentista-prático não tem capacitações e nem o treinamentos de cursos regularizados.

O dentista-prático é um profissional que atua sem o credenciado e nem o diploma. Ou seja, ele pratica as mesmas técnicas que os dentistas especializados, mas sem nenhum treinamento teórico e prático adotado nos cursos das faculdades e universidades.

A regulamentação diz que:

“A profissão de cirurgião-dentista é regulada pela Lei 5081/1966.

Para exercer a odontologia é necessário cumprir os requisitos da Lei, quais sejam: possuir diploma de universidade ou faculdade reconhecida pelo MEC e inscrição no Conselho Regional de Odontologia sob cuja jurisdição se achar o local de sua atividade.

O exercício sem o cumprimento dos requisitos legais configura o crime de exercício ilegal da odontologia, previsto no artigo 282 do Código Penal Brasileiro.”

Quais são as funções do dentista-prático?

As principais funções dos dentistas empíricos são:

  • Extrações dentários: é a cirurgia que resulta na remoção total de um dos dentes. Ela pode ser necessária por diversos motivos, entre eles cáries profundas que não foram tratadas corretamente. Quando não existe possibilidade de recuperação da região afetada, a extração dentária se torna a única solução para evitar um problema mais grave.
  • Colocação de próteses: técnica em que as próteses (fixas ou móveis) são colocadas na cavidade bucal do paciente que perdeu um ou mais dentes;
  • Restaurações dentárias: procedimento odontológico que permite a recomposição do dente depois de ter sofrido uma fratura ou uma cárie. Ela permite que o dente ganhe de volta a sua forma natural, a sua função, seu alinhamento e a sua estética.
  • Tratamentos endodônticos: é toda técnica que tem como objetivo recuperar partes afetadas da polpa dentária, dos canais radiculares e dos tecidos periapicais.

Mas, é preciso lembrar: o profissional não capacitado não tem curso profissionalizante. Ele aprendeu na prática e por meio de observações.

Onde o profissional atua?

Os práticos, como também são chamados, atuam em consultórios em cidades pequenas. Normalmente, cobram com o preço abaixo do mercado.

Formação profissional

Dentro da faculdade de odontologia, o futuro profissional estuda estruturas bucais, como os dentes, a boca e os ossos da face. No ambiente universitário, é ensinado como fazer prevenção, diagnósticos e tratamentos de doenças orais.

Ainda, o estudo pode ser focado em questões estéticas e outras especializações. A duração do curso de odontologia é de 5 anos, com todos os cursos presenciais. As aulas práticas são iniciadas no segundo ano da faculdade.

Em todas as instituições, o estágio é obrigatório para a formação. E, no final de todo o curso, é preciso que o estudante faça um TCC, também conhecido como trabalho de conclusão de curso.

Caso você opte por fazer o curso em uma instituição privada, a maioria delas custa em média R$1700,00 por mês. Mas, fique atento às bolsas universitárias e programas de financiamento.

Quando você finalizar a faculdade e já estar com seu diploma, você pode atuar como um dentista generalista. Assim, atendimentos clínicos e tratamentos que são básicos serão a sua área de atuação.

Mas e o dentista-prático? Ele não passa por todo esse processo. Por isso o assunto dentro da área da odontologia é polêmico, e o papel desse profissional não é reconhecido por todo o território brasileiro.

Juliana Peres

Juliana Peres

Graduada em Odontologia pela Universidade Cidade de São Paulo. Pós-graduada em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial pelo programa de residência profissional do Complexo Hospitalar Padre Bento de Guarulhos. Conhecimento na área de cirurgia oral menor e maior. Residente em cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial no Complexo Hospitalar Padre Bento durante 3 anos e responsável pelo atendimento de pacientes na área de clínico geral, cirurgias orais e harmonização orofacial em diferentes clínicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2018

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.