Principais complicações cirúrgicas na odontologia

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

É importante que o dentista esteja preparado para realizar os procedimentos cirúrgicos, evitando possíveis complicações

As cirurgias são processos invasivos responsáveis pelos tratamentos de diferentes problemas no nosso corpo. No entanto, por serem procedimentos delicados, é possível que ocorram algumas complicações cirúrgicas.

E na área odontológica não é diferente. Por isso, é importante que o dentista planeje previamente o tratamento e realize todos os exames complementarem a fim de evitar as complicações cirúrgicas.

As complicações cirúrgicas podem acontecer durante ou após as cirurgias, de maneira prevista ou inesperada.

Se houver alguma complicação cirúrgica, o profissional deve intervir rapidamente, diminuindo as chances do paciente ter sua saúde prejudicada.

Principais Complicações Cirúrgicas

Você pode estar se perguntando: como ocorrem as complicações pós-operatórias e trans-operatórias? Bom, é importante saber que elas podem surgir por diferentes motivos. Os principais são:

  • Cirurgia muito arriscada e invasiva;
  • Movimentos operatórios que lesionam alguma região do corpo;
  • Falta de habilidade do profissional.

Fizemos uma lista com as principais complicações cirúrgicas na odontologia. Vamos começar?

Hemorragia

A hemorragia é a perda excessiva de sangue. Ela ocorre durante a cirurgia, quando algum vaso é rompido. Mas também pode se manifestar na fase de recuperação.

Os tratamentos indicados para evitar a hemorragia são: compressões, hemostáticos locais e uso de medicamentos de coagulação.

Fratura nos dentes

É possível ter diferentes fraturas. Elas são:

  • Fraturas no dente avulsionado: quando há forma excessiva na hora da avulsão. Para tratar, é preciso realizar  aspiração, irrigação e fazer radiografias para ver se os fragmentos do dente foram removidos completamente;
  • Fraturas no dente vizinho: quando o profissional coloca muita força ou apoia instrumentos no dente vizinho. A reparação do dente fraturado é o melhor tratamento.

Dentes que penetram vias digestivas e respiratórias

É fundamental que o dentista utilize técnicas que impedem a passagem dos fragmentos dentários para essas duas vias. Mas, mesmo assim, se o paciente engolir o dente, será necessário de atendimento médico.

Dente que penetra o seio maxilar

O seio maxilar pode ser penetrado por um dente incluso que encontra-se a uma distância muito pequena. E movimentações bruscas no sentido apical facilitam a perfuração do seio.

Então, será necessário remover o dente pelo canal de Caldwel-Luc.

Fratura na mandíbula

Ocorre dependendo do quadro clínico do paciente. A idade, o sexo, a fragilidade óssea, a técnica cirúrgica, o grau das lesões dentárias e outros influenciam na fratura.

Para tratá-la, o paciente é encaminhado para o cirurgião buco-maxilo-facial.

Fratura no túber da maxila

A principal motivação é o uso de força brusca.

É preciso regular as arestas ósseas e realizar a sutura para tratar a fratura.

Enfisema submucoso ou subcutâneo

É causada pelo uso de motores de alta rotação.

Lesão dos tecidos moles

O uso inadequado de instrumentos e o excesso de força podem lesionar os tecidos moles.

Para o tratamento, é preciso realizar a sutura da lesão.

Lesão das estruturas nervosas

Decorre de má instrumentação e pelo excesso de força.

Traumatismo dos dentes vizinhos

Acontece pela aplicação de uma força exagerada e do manuseio impróprio de materiais.

Como evitar os problemas depois da cirurgia?

Se você precisa passar por uma cirurgia odontológica, o primeiro passo é encontrar um cirurgião-dentista de confiança.

Para isso, você pode procurar por referências e pesquisar sobre o profissional.

Quando você tiver a segurança de que achou o profissional certo, marque uma consulta. Dessa forma, você consegue conversar e tirar todas as dúvidas sobre as possíveis complicações pós-operatórias na odontologia.

É imprescindível que você siga todas as orientações que o especialista passar. Isso garante uma ótima recuperação.

O papel do profissional é tranquilizar o paciente para a cirúrgica. Além disso, ele deve estudar o caso e traçar todas as possíveis complicações.

Ainda, o cirurgião-dentista deve estar descansado antes da cirurgia e ter a certeza de que os materiais necessários estão esterilizados.

Toda a equipe odontológica precisa estar preparada para enfrentar e tratar as complicações cirúrgicas que podem surgir.

Valdir de Oliveira

Valdir de Oliveira

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela Universidade de Santo Amaro (UNISA). Pós-graduado em Ortodontia e Ortopedia dos Maxilares pela Sboom. Com especialização e mestrado em Implantodontia, habilitação em Harmonização Orofacial e Anatomia da Face. Professor nas áreas de Cirurgia Bucomaxilo Facial e Harmonização Orofacial. Voluntário há mais de 20 anos na Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais - ADRA Brasil.

Compartilhe sua opinião

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!