Apolônia de Alexandria: qual sua importância para os dentistas?

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Com uma história forte e impressionante, tem uma representatividade para a odontologia

Sabe quando você está com aquela dor de dente tão incômoda e nada parece que irá resolver? Bom, para os que acreditam, podem rezar para a santa Apolônia.

No mundo das áreas da saúde, juntar ciência com religião pode ser algo complicado para alguns. Porém, existem sim entidades e figuras religiosas que representam tais profissões, como é o caso da Apolônia.

Apolônia, também conhecida como Apolônia de Alexandria, fez parte de um grupo de virgens mártires que padeceram em Alexandria, no Egito.

Todas elas viveram na época em que acontecia um levante local que ia contra o cristianismo, antes mesmo da perseguição de Décio.

Qual a História de Apolônia?

São diversas as lendas e teorias que rodeiam a história da Santa Apolônia, como exemplo, de que ela foi torturada e teve seus dentes arrancados a força. Vamos conhecer mais sobre ela?

Registros Históricos

Santa Apolinária viveu na época do império romano, mais ou menos no ano de 249. Essa foi a época em que quem estava no controle era o imperador Felipe, que mais tarde, foi derrotado por Décio.

Décio foi dos mais cruéis perseguidores de todos os cristãos e praticantes do cristianismo.

Essa santa era filha de um rico magistrado da cidade de Alexandria, uma das mais importantes do Egito, inclusive, que estava sob total controle dos romanos.

Toda sua história foi então contada pelo Bispo de Alexandria, conhecido por São Dionísio. Este escreveu uma carta contando detalhadamente tudo sobre a vida dela para o Bispo Fabio de Antioquia.

Perseguição

Como já explicamos anteriormente, após assumir o império, o agora Imperador Décio estava perseguindo os cristãos. Então, na sétima investida que ele deu, Apolônia de Alexandria foi capturada.

Assim como todos os fiéis que ele capturava, o procedimento com ela não seria diferente. Foi então obrigada a renunciar sua fé cristã pelas forças do império.

Mais do que isso, todos que haviam sido capturados eram obrigadas a prestar um tipo de culto aos deuses romanos. Além de toda a obediência que deviam ao Imperador.

Porém, não preparada para abrir mão de suas crenças e fé, Apolônia decidiu que iria bater de frente com Décio e se manteve firme.

Com uma coragem inacreditável, se negava a obedecer e acatar as decisões que eram impostas pelos romanos e por todos os responsáveis pelo império.

Entretanto, essa acabou não sendo uma decisão que teve resultados fáceis para ela. Por sua resistência, sofreu terríveis torturas em praça pública perante todo o povo, que se impressionava com as cenas absurdas.

Morte de Santa Apolônia

Após todos os tipos imagináveis de tortura que já havia sofrido, ainda assim não abaixou sua cabeça e continuava em pé com sua força e fé inabalável.

Em uma das vezes em que foi amarrada, decidiu que iria acabar com aquele sofrimento por si mesma. Então, dizendo que preferia morrer a renunciar sua fé em Jesus Cristo, se jogou na fogueira onde morreria.

Porém, para a surpresa de todos que estavam no local assistindo ao ato, Deus a protegeu e fez com que saísse ilesa das queimaduras do fogo.

Após este fato, muitos dos fiéis que haviam revogado por medo ou por perda de fé, voltaram a se converter e entregar novamente ao cristianismo.

Mesmo assim, descontentes com o que haviam presenciado, os algozes que ali estavam deram golpes de espadas em Apolônia e deceparam sua cabeça, levando-a então a morte.

Canonização e Festa

Santa Apolônia foi canonizada no ano 300. A partir disso, uma espécie de culto foi criado em sua homenagem e divulgado por toda a Europa. Os países que mais são fiéis a Santa são:

  • Alemanha
  • França
  • Itália

Então, todo o ano, no dia 9 de fevereiro, ela é invocada e homenageada por todos que conhecem e admiram sua história e atos de coragem perante a fé.

Padroeira dos Dentistas

Em meio a todas as torturas horripilantes que passou sem em momento algum questionar ou revogar sua fé, seus dentes tiveram boa parte nesses episódios.

Às ordens do Imperador Décio ou mesmo de seus subordinados, a Santa teve seus dentes arrancados um a um por pedras extremamente afiadas.

Em procedimentos de extrações dentárias, já é comum que os pacientes se queixem de dor, apesar de todo o preparo e cuidados que o cirurgião dentista toma. Já imaginou tudo isso a sangue frio?

Ainda assim, toda essa dor insuportável não foi o suficiente para fazer com que ela perdesse ou abrisse mão de sua fé em Cristo.

Então, ao ver que ela não estava se abalando, os carrascos decidiram quebrar todos os ossos de sua face com pancadas brutais.

Após esse episódio, ela foi então condenada  a morte em uma fogueira. Então, quando morreu, todos seus dentes foram recolhidos e levados para vários mosteiros.

Uma curiosidade sobre ela é que, um de seus dentes, juntamente com um pedaço de sua mandíbula, estão no Mosteiro de Santa Apolônia na cidade de Florença, na Itália.

Celebração à Santa Apolônia

A Igreja católica Romana celebra Santa Apolônia no dia 9 de Fevereiro.

O ritual que é feito é por meio de uma invocação contra dores e problemas no dente. Devido a todo o sofrimento que passou, muitos acreditam nos milagres da Santa Apolônia.

No culto, ela é representada por meio de artes com uma torquês (instrumento odontológico para remoção de dentes) ou tenaz, pela qual um dente é preso.

No século 14, uma ilustração da Santa feita por um manuscrito francês, foi ampliada e distribuída no país como um pôster.

Ele era então considerado próprio para ambientes de gabinetes odontológicos, principalmente nos Estados Unidos. Na ilustração, o dente sagrada que está preso na tenaz tem um brilho próprio, como se fosse um bico de luz.

Apesar da maior parte de suas relíquias estarem preservadas na própria igreja de Santa Apolônia em Roma, o resto de seus membros estão em locais diferentes.

Sua cabeça está na Basílica de Santa Maria em Trastevere, seus braços na Basílica de São Lourenço Fora de Muros, partes de sua mandíbula na Catedral de São Basílio, e outras relíquias estão nas igrejas:

  • Jesuíta da Antuérpia
  • Santo Agostinho em Bruxelas
  • Jesuíta em Mechelen
  • Santa Cruz em Liège
  • Diversas igrejas na cidade de Colônia

Algumas estão também no tesouro da Catedral do Porto. Essas relíquias de Apolônia estão espalhadas por diversos países, deixando um pouquinho de sua história e representatividade, principalmente para os dentistas.

Silmara Alves Rozo Ducatti

Silmara Alves Rozo Ducatti

Cirurgiã-dentista graduada pela Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) e especialista em Ortodontia pelo Sindicato dos Odontologistas de Mato Grosso do Sul (SIOMS).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2018

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.