Álcool e medicamentos tendem a prejudicar a nossa saúde

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Entenda como o nosso organismo reage a esta mistura

Para o tratamento de diversas anomalias orais pode ser necessário o consumo de remédios. Entretanto, esse uso se torna um perigo quando algumas pessoas misturam álcool e medicamentos.

Isso porque a mistura de álcool e medicamentos pode acarretar em complicações ao nosso organismo. Diversos especialistas apontam que a combinação é altamente prejudicial.

Álcool e medicamentos podem se tornar uma combinação prejudicial à saúde, uma vez que as bebidas alcoólicas podem influenciar no efeito dos remédios.

Assim, além de gastar dinheiro à toa (já que o medicamento não cumprirá o papel desejado), o paciente ainda pode sofrer com o agravamento do seu problema de saúde.

É Verdade Que Álcool e Medicamentos Podem Prejudicar a Nossa Saúde?

Geralmente, os pacientes se rendem à bebida quando estão no meio de um tratamento e são chamados para uma grande festa ou evento.

Mas aí fica a questão: a interação de medicamentos com álcool pode prejudicar o meu tratamento? A resposta é sim, pode!

Isso porque os remédios que tomamos possuem um tempo determinado para serem eliminados de nosso corpo.

Assim, como a bebida altera o nosso metabolismo de maneira notável, pode ser que esse tempo também seja modificado. Isso certamente irá prejudicar o tratamento.

Agora que já entendemos esse conceito, está na hora de analisarmos como o processo acontece de acordo com cada tipo de medicamento. Acompanhe:

Anti-inflamatórios

Nesse caso, a bebida aumenta a eliminação do medicamento pelo organismo do paciente. Isso acarreta em uma drástica diminuição do efeito.

Assim, pode haver uma sobrecarga do fígado já que a bebida e o medicamento vão ser metabolizados no órgão, trazendo grandes complicações ao paciente. Portanto, não misture álcool e anti-inflamatórios.

Corticoides

Trata-se de um medicamento derivado do colesterol. Assim, ele tem muita gordura e é metabolizado de forma mais lenta.

A bebida pode atrapalhar o efeito esperado pelo médico, uma vez que altera o nosso metabolismo, fazendo com que o remédio não se metabolize corretamente.

Analgésicos e anti-térmicos

Esse caso de combinação entre álcool e medicação depende bastante das molécula que formam o remédio.

Em casos como o do Paracetamol e da Dipirona, que são os medicamentos mais conhecidos, a velocidade de eliminação do medicamento do sangue vai ser mais rápida com a bebida.

Portanto, o efeito vai ser notavelmente menor.

Antibióticos

Se o médico receitou um medicamento deste tipo e a pessoa continua bebendo álcool, o efeito não vai ser efetivo no organismo.

O ideal é parar de beber enquanto está fazendo o tratamento. Você deve aprender a controlar as suas vontades em prol de sua saúde.

Anticoncepcionais

Os anticoncepcionais possuem moléculas de colesterol, da mesma maneira que os anabolizantes e corticoides. O medicamento fica cerca de 24 horas no organismo e depois é eliminado.

Entretanto, com a bebida a duração pode cair pela metade. Assim, podem haver problemas, já que a mulher pode achar que está protegida.

O ideal é que durante primeiros seis meses de uso do anticoncepcional, a bebida seja diminuída ou até mesmo evitada, visando uma ação mais eficaz do anticoncepcional.

Antidepressivos

Estes são medicamentos que vão diretamente para o sistema nervoso central. O álcool inicialmente aumenta o efeito do antidepressivo, deixando a pessoa mais estimulada.

Entretanto, após passar o efeito da bebida, a pessoa se sente ainda pior, e a depressão pode aumentar por fatores como ressaca e preguiça, que a bebida pode deixar.

Assim, podemos dizer que o maior fator influenciador aqui é a sensação que a bebida proporciona no paciente. Entretanto, este é mais um exemplo que a combinação de álcool e medicamentos não dá certo.

Silmara Alves Rozo Ducatti

Silmara Alves Rozo Ducatti

Cirurgiã-dentista graduada pela Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) e especialista em Ortodontia pelo Sindicato dos Odontologistas de Mato Grosso do Sul (SIOMS).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2020

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.