Saliva artificial é usada no tratamento da xerostomia

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Saiba como funciona uma das alternativas de tratamento à xerostomia

Muitos pacientes procuram seus dentistas com problemas na produção salivar. Esse composto é essencial para o funcionamento e manutenção da saúde bucal. Assim, uma possível alternativa é o uso da saliva artificial.

Normalmente a baixa produção de saliva ou boca seca, está relacionada a xerostomia. Xeros significa seco e stoma quer dizer boca.  Para quem sofre com essa boca seca frequente, a alternativa é o repositor de saliva ou saliva artificial.

A saliva artificial é um composto sintético que serve para aliviar o desconforto da boca seca, além de ajudar a proteger os dentes e a gengiva de doenças. Além disso, auxilia na mastigação e no processo digestivo. Ela pode, até mesmo, ter enzimas que auxiliam o sistema imunológico, inibindo a proliferação bacteriana.

A maioria dos repositores de saliva é a base de xilitol, água e sais minerais e forma uma película bioadesiva na cavidade oral.

Assim, ela hidrata a mucosa, criando uma barreira de proteção e acabando com a sensação de boca seca imediatamente.

Quem deve utilizar a saliva artificial?

A substância é indicada principalmente para pessoas que sofrem de xerostomia e não conseguiram resolver o problema a partir de outros métodos.

A secura na boca costuma aparecer nos seguintes casos:

  • Mulheres pós-menopaus;
  • Pessoas que fazem uso de múltiplos medicamentos, principalmente antidepressivos, diuréticos e anti-hipertensivos; Idosos;
  • Pessoas em tratamento quimio ou radioterápico;
  • Pessoas com doenças que reduzem a produção de saliva, como Síndrome de Sjögren.

Como devo utilizar a saliva artificial?

O composto deve ser aplicado na cavidade oral e espalhado com a ajuda da língua. O usuário também pode utilizar os dedos, quando o produto vier em forma de gel.

Vale lembrar que não existem regras quanto ao horário de uso. Porém, é recomendado que a pessoa não beba ou faça ingestão de alimentos durante 30 minutos após a aplicação.

Apesar do recomendado, é sempre importante seguir as instruções dadas pelo seu dentista.

Quais problemas a boca seca pode trazer?

A boca seca pode aparecer para qualquer um, independente de sua faixa etária. Contudo, a incidência de casos é maior conforme a pessoa é mais velha.

Os idosos são o principal alvo desse problema. Eles costumam consumir uma maior quantidade de medicamentos que possam ter efeitos colaterais contra a produção salivar que pessoas de outras faixas etárias.

Sendo causado por xerostomia ou por outros fatores, a boca seca pode trazer diversas complicações, como:

  • Dificuldade para comer, mastigar, engolir ou falar;
  • Alteração do paladar, boca amarga e seca;
  • Doenças gengivais;
  • Aparecimento de cáries;
  • Feridas e úlceras bucais;
  • Irritação, ardência, sensibilidade ou queimação bucal;
  • Dor na língua ou em outras regiões da boca;
  • Maior vulnerabilidade da boca às infecções;
  • Dificuldade no processo de digestão dos alimentos.

Saliva artificial traz riscos a saúde?

O repositor salivar age unicamente na cavidade oral, e possui uma estrutura similar a da saliva natural. Assim, ele não oferece riscos a sua saúde.

Contudo, é importante buscar orientação médica ou odontológica antes de iniciar o uso da saliva artificial e acompanhar o tratamento com esses profissionais.

Tratamentos alternativos para boca seca

Antes de tudo, é ideal que o profissional avalie o que está causando a falta de produção salivar. A partir daí, é possível buscar a melhor forma de tratar o paciente.

No caso das glândulas não estarem muito afetadas, são indicados métodos para aumentar a produção de saliva através de estímulos mastigatórios, gustatórios, farmacológicos e elétricos.

Exercícios intraorais  ou chicletes e balas à base de xilitol também podem estimular a produção salivar.

Além disso, o paciente pode ser encaminhado a fazer acupuntura ou uso de laser de baixa potência, que apresentam bons resultados.

Quando esses tratamentos não dão resultado, é recomendado que a pessoa faça o uso da saliva artificial. Cuidar da sua saliva é cuidar de sua saúde bucal, portanto procure um dentista assim que notar alguma anormalidade.

Yara Barreto

Yara Barreto

Formada em Odontologia pela Universidade de São Paulo (2008). Aluna de iniciação científica Pibic/Unicid da Universidade de São Paulo. Em 2009, concluiu estágio clínico em Ortodontia no Instituto Vellini, e em 2010, curso de planejamento Ortodôntico na Universidade Metodista. Concluiu em 2014 sua especialização em ortodontia e atua com ortodontia digital. Dentista na Odontoclinic e responsável técnica da OdontoImage.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2018

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.