Saliva artificial é usada no tratamento da xerostomia

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Saiba como funciona uma das alternativas de tratamento à xerostomia

Muitos pacientes procuram seus dentistas com problemas na produção salivar. Esse composto é essencial para o funcionamento e manutenção da saúde bucal. Assim, uma possível alternativa é o uso da saliva artificial.

Normalmente a baixa produção de saliva ou boca seca, está relacionada a xerostomia. Xeros significa seco e stoma quer dizer boca.  Para quem sofre com essa boca seca frequente, a alternativa é o repositor de saliva ou saliva artificial.

A saliva artificial é um composto sintético que serve para aliviar o desconforto da boca seca, além de ajudar a proteger os dentes e a gengiva de doenças. Além disso, auxilia na mastigação e no processo digestivo. Ela pode, até mesmo, ter enzimas que auxiliam o sistema imunológico, inibindo a proliferação bacteriana.

A maioria dos repositores de saliva é a base de xilitol, água e sais minerais e forma uma película bioadesiva na cavidade oral.

Assim, ela hidrata a mucosa, criando uma barreira de proteção e acabando com a sensação de boca seca imediatamente.

Quem deve utilizar a saliva artificial?

A substância é indicada principalmente para pessoas que sofrem de xerostomia e não conseguiram resolver o problema a partir de outros métodos.

A secura na boca costuma aparecer nos seguintes casos:

  • Mulheres pós-menopaus;
  • Pessoas que fazem uso de múltiplos medicamentos, principalmente antidepressivos, diuréticos e anti-hipertensivos; Idosos;
  • Pessoas em tratamento quimio ou radioterápico;
  • Pessoas com doenças que reduzem a produção de saliva, como Síndrome de Sjögren.

Como devo utilizar a saliva artificial?

O composto deve ser aplicado na cavidade oral e espalhado com a ajuda da língua. O usuário também pode utilizar os dedos, quando o produto vier em forma de gel.

Vale lembrar que não existem regras quanto ao horário de uso. Porém, é recomendado que a pessoa não beba ou faça ingestão de alimentos durante 30 minutos após a aplicação.

Apesar do recomendado, é sempre importante seguir as instruções dadas pelo seu dentista.

Quais problemas a boca seca pode trazer?

A boca seca pode aparecer para qualquer um, independente de sua faixa etária. Contudo, a incidência de casos é maior conforme a pessoa é mais velha.

Os idosos são o principal alvo desse problema. Eles costumam consumir uma maior quantidade de medicamentos que possam ter efeitos colaterais contra a produção salivar que pessoas de outras faixas etárias.

Sendo causado por xerostomia ou por outros fatores, a boca seca pode trazer diversas complicações, como:

  • Dificuldade para comer, mastigar, engolir ou falar;
  • Alteração do paladar, boca amarga e seca;
  • Doenças gengivais;
  • Aparecimento de cáries;
  • Feridas e úlceras bucais;
  • Irritação, ardência, sensibilidade ou queimação bucal;
  • Dor na língua ou em outras regiões da boca;
  • Maior vulnerabilidade da boca às infecções;
  • Dificuldade no processo de digestão dos alimentos.

Saliva artificial traz riscos a saúde?

O repositor salivar age unicamente na cavidade oral, e possui uma estrutura similar a da saliva natural. Assim, ele não oferece riscos a sua saúde.

Contudo, é importante buscar orientação médica ou odontológica antes de iniciar o uso da saliva artificial e acompanhar o tratamento com esses profissionais.

Tratamentos alternativos para boca seca

Antes de tudo, é ideal que o profissional avalie o que está causando a falta de produção salivar. A partir daí, é possível buscar a melhor forma de tratar o paciente.

No caso das glândulas não estarem muito afetadas, são indicados métodos para aumentar a produção de saliva através de estímulos mastigatórios, gustatórios, farmacológicos e elétricos.

Exercícios intraorais  ou chicletes e balas à base de xilitol também podem estimular a produção salivar.

Além disso, o paciente pode ser encaminhado a fazer acupuntura ou uso de laser de baixa potência, que apresentam bons resultados.

Quando esses tratamentos não dão resultado, é recomendado que a pessoa faça o uso da saliva artificial. Cuidar da sua saliva é cuidar de sua saúde bucal, portanto procure um dentista assim que notar alguma anormalidade.

Ramiro Murad
Ramiro Murad
Ramiro Murad Saad Neto, cirurgião-dentista com registro no Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) nº 118151, é graduado pela UNIC e residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Possui habilitação em Harmonização Orofacial e também é gestor de clínicas e franquias odontológicas. Além disso, é integrante da equipe Bucomaxilofacial da Clínica da Villa, que está na Rua Eça de Queiroz, 467 - Vila Mariana, São Paulo - SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio
Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.
Agende uma consulta
Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

Simpatio 2021 © - Todos os Direitos Reservados

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.