Medicamentos genéricos são eficientes como os originais?

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Genéricos são opção mais barata e deixam dúvidas nos pacientes sobre sua procedência

São muitos os casos em que os cirurgiões-dentistas prescrevem o uso de certos remédios para aliviar dores dos pacientes. Normalmente, é possível encontrá-los em uma versão de medicamentos genéricos.

Dessa forma, a melhor forma de saber se há ou não essa opção, é chegando até o farmacêutico e perguntando. Está com dúvidas sobre os medicamentos genéricos? Neste artigo vamos esclarecer todas elas para você.

Os medicamentos genéricos são aqueles que contém a mesma substância ativa, forma farmacêutica e dosagem, além da mesma indicação que a versão original, de referência.

Porém, não possui o que muitos chamam de nome de fantasia, é exatamente o nome de seu princípio ativo.

O Que São os Medicamentos Genéricos?

Está curioso para saber o que é medicamento genérico? Então já começaremos explicando que ele é nada mais do que um remédio que produz os mesmo efeitos no organismo que um medicamento de marca.

Dessa forma, os genéricos não são menos eficientes ou apresentam resultados mais fracos do que os originais. Pode ficar despreocupado!

A única diferença é que eles não adotam os nomes comerciais dos medicamentos!

Eles são vendidos pela nomenclatura do próprio princípio ativo, que é a substância responsável por produzir os efeitos terapêuticos.

Além disso, eles passam por testes de qualidade extremamente rigorosos antes de ser registrados e, em seguida, liberados e autorizados para a comercialização.

É por isso então que têm as mesmas qualidades, efeitos colaterais e irão oferecer os mesmos resultados que os remédios originais.

Preço dos Medicamentos Genéricos

Você já deve ter reparado que, ao procurar e solicitar por um medicamento genérico, é comum que os preços sejam um pouco inferiores, não é mesmo?

O principal motivo para essa diferença de valor é o fato de que funcionam apenas como uma cópia de outros medicamentos que já são conhecidos.

Dessa forma, não é necessário que novos investimentos em pesquisas para seu desenvolvimento sejam feitos, o que é um gasto a menos para a indústria.

Medicamento de Referência X Medicamentos Genéricos

A forma mais simples de identificar esse tipo de medicamento é por meio da própria embalagem. Na caixa do remédio, costuma estar indicado: medicamento genérico.

É possível observar também um tarja amarela e a presença de um letra G bem grande.

Essa troca deve ser sempre orientada pelo médico que fez a receita ou por meio de uma indicação de um farmacêutico.

Como Saber Quais São os Medicamentos Genéricos Disponíveis?

Você provavelmente não sabe disso, mas todas as drogarias e farmácias são, por lei, obrigadas a ter disponível em suas lojas uma lista com todos esses genéricos, que esteja em um local de fácil leitura e sempre atualizada.

Além disso, as responsabilidades para com esses remédios está divida em três pessoas:

  1. Médico
  2. Farmacêutico
  3. Consumidor

Cada um deles exerce um papel com relação a esse tipo de medicação. Em qual deles você se encaixa? Vamos entender melhor sobre a função de cada um.

Papel do Médico

É o profissional quem deverá fazer a prescrição do medicamento que seja genérico. Mais do que isso, o médico ou dentista deve orientar o paciente, assegurá-lo e tirar quaisquer dúvidas que ele possa ter.

É importante que a equivalência com o medicamento com nome de marca fique bem claro e, além disso, o paciente esteja seguro de que a eficácia também é a mesma.

Os médicos que atuam na área do setor público (SUS) são exclusivamente obrigados a receitar apenas medicamentos pela sua denominação genérica.

Já no caso dos que trabalham com o setor privado, estão livres dessa obrigatoriedade.

Dessa forma, vai do consumidor estar ciente, informado e, se for de interesse, pedir que o médico dê uma receita com a fórmula genética.

Papel do Farmacêutico

O papel deste é informar toda e qualquer informação sobre esse tipo de medicamento. É apenas o farmacêutico quem pode orientar que um medicamento de marca possa ser trocado pelo genérico, nunca o balconista.

Papel do Consumidor

É de total direito do consumidor solicitar por um medicamento genérico, desde que esteja sob as condições necessárias para isso.

Porém, seu papel é estar minimamente informado, saber de sua existência e questionar os profissionais.

Conhecê-los é muito importante, uma vez que, além de ter a garantia do mesmo efeito terapêutico, costumam ter um preço muito menor.

História dos Genéricos no Brasil

O projeto começou no ano de 1991 sob os comando do Deputado Federal Eduardo Jorge. O Projeto de Lei número 2.022 tinha como principal objetivo remover as marcas comerciais dos medicamentos.

Dois anos depois, em 1993, o Presidente Itamar Franco decretou a existência da denominação do componente ativo, (ou seja, o nome genérico) em todas as embalagens dos em um tamanho maior que a marca.

No Brasil, esses medicamentos só foram ser de fato introduzidos em 1999, quando Fernando Henrique Cardoso estava no governo.

Havia sido então autorizado o comércio de medicamentos com patentes expiradas, em quaisquer laboratórios.

Foi assim que surgiu a padronização das embalagens, com uma tarja amarela e o grande G de Genérico, informando também o número da lei e, por extenso, o nome do princípio ativo.

Nenhum dos genéricos pode conter o nome da marca ou apresentá-la em sua embalagem. Somente o nome do princípio deverá ser informado.

Além disso, os preços devem ser, no mínimo, 35% menores do que os originais. No Brasil, temos também os medicamentos de uso controlado em fórmulas genéricas.

Quais as Vantagens dos Medicamentos Genéricos?

Por mais que tenhamos explicado ao decorrer deste artigo que tanto os originais quanto os genéricos não possuem diferenças com relação a composição, podemos destacar algumas vantagens dos genéricos:

  • São encontrados com um menor preço, uma vez que sua fabricação necessita de menos recursos que os originais;
  • Os medicamentos de marca também acabam tendo os preços reduzidos, uma vez que os genéricos entram então como uma concorrência;
  • Contribuem com o aumento do acesso a medicamentos de qualidade, seguros e eficazes;

Agora que você sabe todas essas informações sobre os medicamentos genéricos, não se esqueça de solicitá-los ao seu médico ou dentista e economizar um dinheirinho para gastar com outros produtos.

Silmara Alves Rozo Ducatti

Silmara Alves Rozo Ducatti

Silmara Alves Rozo Ducatti é cirurgiã-dentista graduada pela Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) e especialista em Ortodontia pelo Sindicato dos Odontologistas de Mato Grosso do Sul (SIOMS). Possui registro no Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) nº 121811 e integra a equipe odontológica da RD Design Oral, que fica na Alameda Grajaú, 98 - sala 1207 - Alphaville, Barueri - SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2020

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.

Os conteúdos da Simpatio são escritos por jornalistas e possuem a supervisão e a aprovação de dentistas e de profissionais de saúde parceiros.