Azul de toluidina é usado como método de diagnóstico

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

O procedimento é rápido, indolor e não traz desconfortos para o paciente

Durante os atendimentos odontológicos, os profissionais realizam exames para avaliação clínica. No entanto, alguns exames não são suficientes para diagnosticar alterações bucais. Por isso, os profissionais realizam o teste do azul de toluidina.

Em alguns quadros clínicos, é só com a realização do teste de azul de toluidina que o diagnóstico é confirmado. E só após os resultados conclusivos que é possível planejar os tratamentos.

O azul de toluidina é um corante de caráter básico. Como o próprio nome indica, sua coloração é azul.

Neste artigo, vamos tirar todas suas curiosidades e suas dúvidas sobre o uso do azul de toluidina na odontologia. Vamos começar?

Como é realizada a avaliação clínica?

É apenas com o diagnóstico preciso que o profissional odontológico consegue planejar o melhor tratamento para o paciente. Por isso, quanto mais rápido os resultados do diagnóstico se confirmarem, maiores são as chances de recuperação.

Mas como é feito o diagnóstico? A resposta é simples: pela avaliação clínica, que está separada em etapas.

O primeiro exame a ser feito é o clínico, que é dividido em anamnese e exame físico. Na anamnese, o profissional fará perguntas sobre os sintomas e o histórico médico do paciente. Enquanto isso, no exame físico, o profissional analisa toda a região anatômica da boca do paciente.

Além disso, ele pode pedir por outros exames complementares, como exames radiográficos, biópsia e tomografia computadorizada. Inclusive, é nesse momento que o azul de toluidina é testado.

Os preços, os níveis de radiação e a praticidade diferem de um exame para o outro. Entretanto, é o profissional que indicará o melhor procedimento para identificar o diagnóstico.

Curiosidade: a biópsia é considerada o melhor exame para diagnosticar lesões orais.

Uso do Azul de Toluidina

O profissional passa o corante na superfície da lesão oral. Se a coloração ficar com o tom azul forte, o resultado é positivo. Ou seja, a lesão é maligna. Caso a lesão não mantenha a coloração azul, a lesão é benigna.

O dentista pode passar o corante na lesão oral por meio de um cotonete. O procedimento dura apenas alguns minutos. Como vimos, o corante auxilia no diagnóstico de lesões orais. Algumas delas são:

Quais são os benefícios desse teste?

Nós já vimos que o procedimento com o corante é bem rápido. Mas ele apresenta outras vantagens também. Uma delas é que todo o processo é indolor e não traz desconforto para o paciente.

Fora isso, o teste é barato. E não se preocupe com o sangue. Isso porque a aplicação do azul de toluidina não envolve sangue.

Apesar dos benefícios, o uso do azul de toluidina pode provocar resultados falsos-positivos. Por isso, é ideal que os profissionais da área da odontologia realizem exames complementares.

Ramiro Murad Saad Neto

Ramiro Murad Saad Neto

Cirurgião-dentista graduado em Odontologia pela UNIC. Gestor de clínicas odontológicas e franquias. Residente em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial Facial no Sindicato dos Odontologistas de São Paulo (SOESP - SP). Habilitação em Harmonização Orofacial e integrante da equipe Bucomaxilofacial Dr. Carlos Eduardo Xavier na Clínica da Villa, em São Paulo. CRO - 118151

Compartilhe sua opinião

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!