Saiba quando a procaína é usada na odontologia

Share on facebook
Compartilhe
Share on twitter
Tweet Isso
Share on linkedin
Compartilhe

Na busca pelo maior conforto dos pacientes, os dentistas utilizam diferentes remédios para anestesiar a boca

“Só com anestesia!”, você já deve ter pensado – ou dito – durante uma consulta com o dentista. O medo da dor é real e muito presente nos pacientes. Para evitar esse desconforto, em alguns casos, os dentistas utilizam a procaína.

Existem diversos tipos de anestesia mas, a procaína possui algumas características próprias. Vamos conhecer um pouco mais sobre essa substância?

A procaína é um anestésico local, utilizado principalmente por dentistas em procedimentos mais simples. É mais conhecida pelo seu nome comercial, novocaína (ou novacaína). Seu efeito é rápido e de curta duração. Também é famosa por seus efeitos colaterais.

Por que usamos anestesia?

A anestesia é essencial para muitos procedimentos e pode ser necessária até em procedimentos mais simples com pacientes mais sensíveis ou ansiosos. Por isso, ela é administrada antes de um procedimento para neutralizar a dor incômoda ou para sedar um paciente nervoso.

A forma mais comum na odontologia é a anestesia local. Isso porque os procedimentos não costumam ser extensos ou muito invasivos.

Usar uma anestesia local significa que a dor será neutralizada em toda boca ou em parte dela durante o trabalho dental. O paciente não dorme e fica consciente durante todo o procedimento.

Em algumas casos, os pacientes tomam anestesia geral. São casos onde o dentista precisa do paciente imóvel ou quando o procedimento é muito invasivo e demorado.

Por isso, as drogas utilizadas causam uma perda temporária da consciência e o paciente costuma dormir por todo o procedimento.

Como a procaína é usada?

novocaína é menos utilizada atualmente por conta dos seus efeitos colaterais (que são brandos, mas existem). Por não serem efeitos graves, ainda pode ser usada em consultórios odontológicos.

Ela é injetada no local adequado e tem efeito rápido. Sua rapidez significa que o efeito também dura pouco. Por isso, é mais utilizada em restaurações e extrações dentárias simples.

Quais são os efeitos colaterais da procaína?

Os efeitos colaterais acontecem em pessoas sensíveis ao medicamento ou em pessoas que utilizam medicamentos que interagem com a procaína. Por isso, é importante conversar bem com seu dentista antes do procedimento e detalhar seu histórico médico, medicamentos em uso e alergias.

Existem dois efeitos colaterais da novocaína que são mais comuns entre os pacientes. Por isso, detalhamos seus sintomas e como identificá-los:

Reação alérgica

As reações alérgicas a procaína acontecem em pessoas sensíveis ao medicamento, normalmente em seu primeiro uso. Essas reações podem variar em gravidade. Por isso, se você é uma pessoa com alergias fortes ou já possui alergias de outros medicamentos, converse com seu dentista!

Os sinais de uma reação alérgica são normalmente limitados à área da boca onde a anestesia local é aplicada. Pode ocorrer inchaço, nos casos mais leves, ou problemas para respirar, nos casos mais graves.

Reação do sistema nervoso central

A novocaína pode interferir no funcionamento do seu sistema nervoso. Por isso, o dentista não deve aplicar o medicamento sem antes avaliar cuidadosamente o seu histórico médico para descobrir quaisquer condições médicas preexistentes. Só então ele pode determinar a dosagem correta e segura para o seu caso.

Se você receber uma dose elevada de procaína, os sintomas costumam ser: nervosismo, tonturas e insuficiência respiratória. O dentista será capaz de avaliar o quadro na hora e fornecer um tratamento bem-sucedido.  Isso irá evitar os efeitos colaterais mais graves.

Outras reações a procaína

Além dos efeitos já citados, o paciente também pode sentir em casos mais raros:

  • Garganta fechando/fechada;
  • Coceiras;
  • Dores no peito;
  • Batidas irregulares do coração;
  • Sonolência;
  • Náusea e vômito;
  • Tremor
  • Convulsão.

A procaína pode ser um excelente aliado dos dentistas, se usado sabiamente. Não deixe de conversar com seu dentista sobre riscos e vantagens antes do procedimento!

Juliana Peres

Juliana Peres

Graduada em Odontologia pela Universidade Cidade de São Paulo. Pós-graduada em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial pelo programa de residência profissional do Complexo Hospitalar Padre Bento de Guarulhos. Conhecimento na área de cirurgia oral menor e maior. Residente em cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial no Complexo Hospitalar Padre Bento durante 3 anos e responsável pelo atendimento de pacientes na área de clínico geral, cirurgias orais e harmonização orofacial em diferentes clínicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Simpatio

Somos dedicados em criar conteúdo de qualidade e informativo. Nossa missão é informar pacientes, dentistas e clínicas provendo conteúdos altamente relevantes sobre odontologia e saúde bucal gratuitamente.

Agende uma consulta

Precisando de algum tipo de ajuda ou apoio relacionado a sua saúde ou estética bucal? Clique no botão abaixo!

Postagens Recentes

Receba Nossos Conteúdos

Preencha seu e-mail acima e receba conteúdos exclusivos gratuitamente!

© All rights reserved

Simpatio 2018

As informações contidas neste site têm como objetivo único informar. A Simpatio tem o compromisso de estimular, e nunca substituir, as relações entre dentistas e pacientes. Sempre deixamos isso muito claro nos textos e na comunicação com nossos leitores. É fundamental que o paciente, ao notar qualquer alteração em sua saúde bucal, consulte seu dentista de confiança. Cada indivíduo requer um tratamento personalizado.